Busca avançada
Ano de início
Entree


Identificação e quantificação de oxisteróis em ateromas e plasma de indivíduos com doença arterial periférica oclusiva submetidos à cirurgia de amputação

Autor(es):
Vitor Wilson de Moura Virginio
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Faculdade de Ciências Médicas
Data de defesa:
Membros da banca:
José Carlos Quinaglia e Silva; Orlando Petrucci Junior
Orientador: Andrei Carvalho Sposito
Resumo

Atualmente aproximadamente 17 milhões de pessoas morrem por doenças cardiovasculares (DCV). No Brasil durante 2011 ocorreram cerca de 200 mil óbitos por DCV principalmente em decorrência da aterosclerose, classificada como uma doença imuno-inflamatória crônica que causa estreitamento luminal e gera diversas fatalidades como infarto agudo do miocárdio (IAM), acidente vascular encefálico (AVE), doença arterial periférica (DAP), entre outras. A DAP prediz outras DCV e é a principal causa de amputação devido a obstrução das artérias de membros inferiores. Análises histológicas indicam que a ruptura da placa, capa fibrosa do ateroma, erosão da placa e nódulo calcificado geram as principais fatalidades nas DCV. Até o momento não há biomarcadores plasmáticos para uso clínico afim de avaliar a estabilidade e a gravidade das placas ateroscleróticas, esse fato motiva a exploração de componentes envolvidos em doenças imuno-inflamatórias e no metabolismo lipídico tais como oxisteróis e marcadores da síntese e absorção do colesterol (MSAC). Os oxisteróis, principalmente 27-hidroxicolesterol (27-HDC) e 7-ketocolesterol estão envolvidos em mecanismos fisiopatológicos da aterosclerose e desempenham um papel na inflamação, citotoxicidade e necrose, além de funções no metabolismo lipídico. É relatado que os oxisteróis 24S- e 25-hidroxicolesterol (24S- e 25-HDC) estão envolvidos em doenças neurodegenerativas como Alzheimer. Estudos apontam uma causa em comum entre Alzheimer e aterosclerose, ambas são doenças inflamatórias crônicas, assim são necessárias mais investigações desses oxisteróis na doença aterosclerótica. A proteína de transferência de éster de colesterol (CETP) e proteína de transferência de fosfolípides (PLTP), assim como as lipoproteínas, podem mediar a transferência desses lípides. O objetivo desse trabalho foi quantificar concentrações de oxisteróis (24S-, 25-, 27-HDC e 7-ketocolesterol) e marcadores de síntese (desmosterol e latosterol) e absorção (β-sitosterol e campesterol) do colesterol em ateromas e plasma de 10 indivíduos com DAP (grupo DAP) e comparar com artérias sem ateroma de 13 voluntários (grupo CTL). Também relacionar esses esteróis com outros parâmetros como histórico clínico e proteínas de transferência de lípides. Foram realizadas análises clínicas e bioquímicas, classificações histológicas dos ateromas e quantificações de esteróis em artérias e plasma. Para interpretação dos dados obtidos foram usados testes estatísticos de comparação e correlação. Os dois grupos apresentaram uma similaridade nos dados clínicos e bioquímicos, diferenciando apenas em pressão arterial sistólica, atividade da PLTP, glicose e proteína C reativa (PCR), maiores no grupo DAP. A PCR se correlacionou positivamente com 24S-HDC, 25-HDC e 27-HDC plasmáticos. Comparação entre os grupos em relação a concentração de oxisteróis em artérias mostraram o 24S-HDC e o 27-HDC maiores no ateroma do grupo DAP, curiosamente o 25-HDC esteve maior em CTL. Quantificações de oxisteróis em plasma do grupo DAP mostrou um aumento do 25-HDC em relação ao grupo CTL. Não houve diferença significante para os MSAC. Os ateromas classificaram-se em 50% ruptura da placa, 20 % capa fibrosa do ateroma, 10% nódulo calcificado e 10% lesão fibrocálcica. Em conclusão mostramos o acumulo do 24S-HDC em placas de aterosclerose. O 27-HDC assim como outros estudos esteve em maior concentração nos ateromas indicando fortemente sua ação na patogênese dessa doença. Todos os oxisteróis sintetizados enzimaticamente dosados em plasma se correlacionaram positivamente com atividade inflamatória sistêmica, assim como 24S-HDC e 27-HDC em ateromas. Finalmente a atividade da PLTP esteve maior no grupo DAP. (AU)

Processo FAPESP: 11/16477-5 - Identificação e quantificação de oxisteróis em ateromas e plasma de indivíduos com doença arterial periférica oclusiva submetidos à cirurgia de amputação
Beneficiário:Vitor Wilson de Moura Virginio
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado