Busca avançada
Ano de início
Entree


Certificação ambiental e desenvolvimento sustentável: avaliação para o setor sucroalcooleiro localizado na Bacia Hidrográfica do rio Mogi-Guaçu/SP

Texto completo
Autor(es):
Rodrigues, Isabel Cristina
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Carlos. [2004]. 297 f., ilustrações, tabelas.
Instituição: Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas
Data de defesa:
Membros da banca:
Alves, Francisco José da Costa; Assumpção, Maria Rita Pontes; Souza Filho, Hildo Meirelles de; Reydon, Bastiaan Philip; Szmrecsányi, Tamás József Márton Karoly
Orientador: Alves, Francisco José da Costa
Área do conhecimento: Engenharias - Engenharia de Produção
Indexada em: Base de Dados BCo-PHL - UFSCAR; Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFSCAR
Localização: Universidade Federal de São Carlos. Biblioteca Comunitária; T658.5; R696ca
Resumo

A atividade canavieira sempre esteve associada, ao longo de sua história, a quadros de degradação ambiental e contingências sociais. O posicionamento por parte da agroindústria canavieira com relação aos impactos negativos de sua atividade sobre o meio ambiente tem sido defensivo, se limitado a cumprir as imposições legais. Neste cenário, chama atenção a iniciativa de algumas usinas do setor que decidiram produzir cana-de-açúcar e açúcar orgânico certificado. Este trabalho discute as motivações que levaram estas usinas a adotarem este sistema de produção e as condicionantes que levaram estas usinas a adotarem este sistema de produção e as condicionantes que concorreram para esta decisão. Parte-se da hipótese que a motivação fundamental para esta decisão foi a busca por um produto diferenciado, com características valorizadas pelo mercado. Este trabalho também permite analisar até que ponto as necessidades associadas às premissas do Desenvolvimento Sustentável são observadas pelas usinas quando de suas decisões de investimentos em um produto diferenciado por atributos de preservação ambiental como é o açúcar orgânico. Partindo da definição de que o desenvolvimento sustentável deve incorporar a questão regional, escolheu-se para o estudo o setor sucroalcooleiro localizado no Bacia Hidrográfica do rio Mogi-Guaçu, pois é nesta bacia que se encontra a maior porção produtiva do setor e, além disto, há na região duas unidades produzindo o açúcar orgânico. A pesquisa em uma amostra das unidades produtivas situadas na Bacia permitiu a construção de um diagnóstico socioambiental da atividade no recorte regional e um delineamento das mudanças necessárias para a conversão à produção orgânica. O diagnóstico resultante da pesquisa de campo permitiu concluir que as condições ambientais das usinas que optaram pela produção orgânica são sensivelmente melhoradas, mas as premissas previstas pela certificação orgânica são incapazes de contemplar todos os constrangimentos socioambientais desta atividade. Os principais problemas estão associados à exploração extensiva (monocultura) da atividade agrícola e as questões de exclusão de mão-de-obra e de pequenos fornecedores, gerando problemas sociais na região do empreendimento. (AU)

Processo FAPESP: 99/12915-4 - A Bacia Hidrográfica do Rio Mogi-Guaçu como rede de poder e as certificações de caráter ambiental para o setor sucro-alcooleiro: uma possibilidade de ação política para o desenvolvimento regional sustentável
Beneficiário:Isabel Cristina Rodrigues
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado