Busca avançada
Ano de início
Entree


Analise de facies e modelo paleodeposicional da plataforma siliciclastica ordoviciana da Pre-Cordilheira Argentina

Autor(es):
Paulo Augusto Moretti Junior
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Engenharia Mecânica e Instituto de Geociências
Data de defesa:
Membros da banca:
Henrique Rosa; Saul Barisnik Suslick
Orientador: Giorgio Basilici
Resumo

Esta dissertação consiste no estudo sedimentológico e paleodeposicional de quatro unidades litoestratigráficas da Pré-Cordilheira Argentina, depositadas durante o Ordoviciano: Formação Portezuelo del Tontal (FPT), Formação Sierra de La Invernada (FSI), Formação Gualcamayo (FG) e Formação Los Azules (FLA). A FG e a FLA são caracterizadas por lamitos e margas depositados por decantação. A FPT é constituída por uma alternância entre arenitos finos a muito finos e lamitos. Os arenitos são frequentemente bipartidos: a porção basal, de granulometria areia média a fina, é espessa e maciça, apresentando intraclastos lamosos, tapetes de tração. A porção superior possui granulometria mais fina e é menos espessa, com laminação cruzada truncante anisotrópica (anysotropic hummocky cross stratification). Os arenitos são interpretados como gerados por fluxos gravitacionais influenciados por tempestades. A presença de laminação cruzada truncante na parte superior das camadas demonstram que a sedimentação ocorreu acima do nível de ondas de tempestades e que um fluxo gravitacional se desenvolveu concomitantemente às tempestades. A FSI é caracterizada por arenitos muito finos com laminação truncante anisotrópica intercalada com lamitos arenosos produzidos por correntes de turbidez muito diluídas e por decantação. A FSI apresenta abundantes icnofósseis, o que indica uma atividade biológica bentônica ativa. O sistema deposicional da FPT e da FSI é uma plataforma dominada por atividade de tempestades. A parte superior da FSI e a FPT são litologicamente semelhantes e ambas apresentam direções de paleocorrentes de norte para sul, o que evidencia que eram parte de uma mesma bacia. Os arenitos mais grossos e espessos, representados pelos depósitos da FPT, teriam passado por ambientes mais rasos (FSI) e se depositado em áreas mais profundas (FPT). Os depósitos arenosos muito finos gerados por tempestades são característicos de áreas mais rasas e proximais (FSI). A margem ocidental do Gondwana, durante o Meso e Neo-Ordoviciano, foi uma plataforma siliciclástica dominada por tempestades, com aprofundamento para sul localizada em uma bacia do tipo antepaís (AU)

Processo FAPESP: 05/58226-8 - Análise das bacias sedimentares ordovicianas da Pré-Cordilheira Argentina e paleogeografia da margem ocidental do Gondwana
Beneficiário:Paulo Augusto Moretti Júnior
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado