Busca avançada
Ano de início
Entree


Relações entre qualidade do sono e independencia funcional em idosos residentes em instituição de longa permanencia

Autor(es):
Carolina Becker Bueno de Abreu
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Faculdade de Ciências Médicas
Data de defesa:
Membros da banca:
Luiz Silveira Menna Barreto; Fernanda Aparecida Cintra
Orientador: Maria Filomena Ceolim
Resumo

O processo natural de envelhecimento e as doenças que acometem o idoso são causas freqüentes de declínio da independência funcional, que pode comprometer o exercício da autonomia e das atividades de vida diária de parcela significativa da população idosa. Da mesma forma, alterações do sono são freqüentemente observadas nessa faixa etária. A qualidade do sono é fator fundamental para a qualidade de vida e para o engajamento em atividades produtivas e de lazer. Seu impacto sobre a saúde é reconhecido, porém as relações entre sono e independência funcional têm sido pouco exploradas na literatura. Foram objetivos deste estudo: identificar associações entre qualidade do sono e independência funcional em idosos residentes em instituição de longa permanência (ILPI), bem como entre essas variáveis e fatores sócio-demográficos e participação em atividades (produtivas e de lazer); e identificar os fatores que influenciaram a independência funcional. Foram utilizados instrumentos específicos para avaliação da qualidade do sono (Pittsburgh Sleep Quality Index - PSQI) e da independência funcional (Medida de Independência Funcional - MIF), e instrumentos elaborados pela pesquisadora para caracterização sócio-demográfica, de saúde, e da rotina ocupacional. O estudo foi conduzido com 48 idosos residentes em ILPI há pelo menos um ano, livres de demência, depressão, insensibilidade à luz e distúrbios do sono, dos quais 18 eram mulheres (37,5%) e 30 homens (62,5%), com média de idade 71,7(±8,2) anos. A maior parte dos idosos (69%) apresentou sono de má qualidade segundo o escore global do PSQI (8,0 ± 3,9 pontos em média). Os idosos com melhor avaliação global da qualidade do sono, e aqueles com menor latência do sono apresentaram maiores escores na MIF cognitivo-social. Os idosos com melhor eficiência do sono, bem como aqueles com queixa mais freqüente de noctúria apresentaram maiores escores na MIF motora e MIF total. A MIF cognitivo-social obteve maior pontuação entre os idosos com primário completo e acima, em relação àqueles com escolaridade inferior a esse grau. A MIF motora obteve pontuação mais elevada quanto menor o número de deficiências e de sintomas referidos pelos idosos. A análise de regressão linear múltipla evidenciou que os fatores que contribuíram para elevar os escores da MIF motora e da MIF total foram a participação em atividades produtivas e a boa qualidade do sono. Os escores da MIF cognitivo-social tiveram contribuição da participação em atividades produtivas e da escolaridade equivalente ou superior ao primário completo (AU)

Processo FAPESP: 07/53146-1 - Relações entre sono e capacidade funcional em idosos residentes em instituição de longa permanência
Beneficiário:Carolina Becker Bueno de Abreu
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado