Busca avançada
Ano de início
Entree


O genero Agalinis raf. (Scrophulariaceae) no Brasil : sistematica e confirmação anatomica do parasitismo

Autor(es):
Samira Ismael Elias
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Biologia
Data de defesa:
Membros da banca:
João Semir; Sandra Maria Carmello Guerreiro; Maria das Graças Sajo
Orientador: Beatriz Appezzato da Gloria
Resumo

O gênero Agalinis Raf. é representado por 35 espécies na América do Norte e América Central, sendo que 25 ocorrem na América do Sul. Destas 25 espécies, 14 ocorrem no Brasil. A maior parte das espécies brasileiras ocorre em áreas de altitude de Minas Gerais, geralmente estando restritas aos campos rupestres. Foram analisados materiais de 25 herbários nacionais, além da observação de algumas espécies em seu ambiente natural, o que facilitou muito a caracterização e delimitação das mesmas. Os caracteres mais importantes na delimitação das espécies foram comprimento e forma dos lacínios do cálice, indumento e forma da corola, além das dimensões e do indumento das folhas. Como principais novidades taxonômicas pode-se mencionar: 1) a proximidade do gênero com EsterhPzya J. C. Mikan, que foi aqui reforçada através de caracteres do androceu e forma da corola; 2) Agalinis bandeirensis e A. linanoides - consideradas como de delimitação duvidosa - foram reconhecidas como espécies distintas; 3) O reconhecimento de A. nana e A. itambensis como novas espécies foi reforçado no presente trabalho, principalmente com a observação das mesmas em seu hábitat natural. Quanto ao parasitismo, as espécies norte-americanas de Agalinis são referidas como hemiparasitas, mas não existem referências para este fato em relação às espécies brasileiras. Neste sentido, foram analisadas raizes de nove espécies do gênero, as quais apresentavam formações muito semelhantes aos haustórios descritos para outras Scrophulariaceae parasitas. Os cortes seriados dessas formações evidenciaram que existe uma conexão xilemática entre elas e as raizes hospedeirasàs quais encontravam-se conectadas. Este fato confirmou pela primeira vez a natureza haustorial destas estruturas e a ocorrência de parasitismo nas espécies brasileiras de Agalinis. A posição de A. glandulosa neste gênero, que pertencia a Schizosepala, foi aqui reforçada pela confirmação do parasitismo nesta espécie. Sua anatomia radicular mostrou grande semelhança com a de A. communis, fortalecendo ainda mais a posição de A. glandulosa em Agalinis (AU)

Processo FAPESP: 98/05813-8 - Estudos anatômicos e sistemáticos em espécies de agalinis RAF. (scrophulariaceae) nativas do Brasil com ênfase em aspectos sobre o parasitismo
Beneficiário:Samira Ismael Elias
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado