Busca avançada
Ano de início
Entree


A contribuição do Conselho Nacional do Petróleo e da Petrobras na formação de profissionais para a exploração do petróleo no Brasil

Autor(es):
Drielli Peyerl
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Geociências
Data de defesa:
Membros da banca:
André Tosi Furtado; Jefferson de Lima Picanço; Antonio Carlos Sequeira Fernandes; Maria Amélia Mascarenhas Dantes
Orientador: Silvia Fernanda de Mendonça Figueirôa
Resumo

Em 1864, um acontecimento singular e oficial iniciou e transformou o rumo das pesquisas relacionadas ao petróleo no Brasil: o Decreto n° 3.352-A, no qual, pela primeira vez, cita-se a palavra petróleo no corpo de um texto da Legislação Brasileira. Correlacionado a esse acontecimento, tem-se a criação da Escola de Minas de Ouro Preto em 1875, onde o ensino de Geociências no país começa a ser sistematicamente praticado. Embora formalmente titulados como engenheiros de minas, muitos atuaram na realidade como geólogos antes da existência de um curso específico de Geologia. Nos desdobramentos de busca e exploração de petróleo no Brasil durante o do século XX tivemos iniciativas particulares e governamentais (Comissão Geográfica e Geológica de São Paulo, Comissão White, Serviço Geológico e Mineralógico do Brasil) que contribuíram para a pesquisa e futuramente para a prospecção do petróleo no país. Em 1938, cria-se o Conselho Nacional do Petróleo ¿ CNP com o intuito de regulamentar e encontrar petróleo no território brasileiro. No ano seguinte descobre-se a primeira jazida de petróleo na região de Lobato, na Bahia, modificando-se a política do petróleo no Brasil. A descoberta de petróleo serviu como impulso para a indústria e para as atividades que dele dependiam. Enquanto isso, um dos problemas enfrentados pelo CNP foi a falta de pessoal qualificado para as demandas técnicas e de conhecimento geológico sobre o território brasileiro. Em 1954, a Petrobras (1953) iniciou suas atividades a partir do acervo recebido do antigo CNP, com o objetivo de executar tarefas no setor de exploração de petróleo no território. Algumas características do CNP permaneceram na empresa, principalmente em relação à pressão política e nacionalista que buscava consolidar o Brasil como um país rico em petróleo. Nesse processo, tanto o CNP como a Petrobras investiram na elaboração de cursos de aperfeiçoamento e profissionalização de sua própria equipe de trabalho. Inclusive formando profissionais na área de Geologia e Engenharia do Petróleo. Além dela, outras sociedades científicas e convênios com universidades, contribuíram para a formação e constituição das Geociências no Brasil num outro patamar de institucionalização e profissionalização. Assim, esta tese tem por objetivo investigar e compreender o papel do CNP e principalmente da Petrobras na construção e formação de cursos na área de Geociências, como parte do processo histórico de busca e exploração pelo petróleo iniciado aqui em 1864 e finalizando-se em 1968 com a descoberta do primeiro poço offshore, quando também, a Petrobras investe massivamente nas pesquisas para exploração de petróleo no mar. A principal fonte da presente pesquisa concentra-se no Acervo pessoal do paleontólogo Frederico Waldemar Lange (1911-1988), que se encontra sob a guarda e conservação do Laboratório de Estratigrafia e Paleontologia da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) (AU)

Processo FAPESP: 10/14857-2 - O papel da Petrobras na formação de profissionais da área de geociências e mapeamento do território brasileiro
Beneficiário:Drielli Peyerl
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado