Busca avançada
Ano de início
Entree


Estudo da reatividade de 1-azirinas-3-funcionalizadas frente a difenilceteno-sintese de novas 2-pirrolonas e 2-azetidinonas derivadas

Autor(es):
Jose Nunes da Silva Junior
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Quimica
Data de defesa:
Orientador: Albert James Kascheres
Resumo

Neste trabalho estudamos a reatividade de diferentes 1-azirinas-3-substituídas frente ao difenilceteno visando estabelecer a influência de ligantes, na posição 3 das 1-azirinas, sobre a formação de 5-pirrolin-2-onas. Através deste estudo, tivemos acesso a diferentes 5-pirrolin-2-onas e 2-azetidinonas, permitindo-nos sugerir mecanismos pelos quais as reações poderiam ter ocorrido. Em posse das 5-pirrolin-2-onas, realizamos várias reações com as mesmas, com o intuito de verificarmos sua versatilidade sintética das mesmas. A reação das 5-pirroli-2-onas com metanol, levou à formação de 5-metoxi-2-pirrolidinonas que, por sua vez, sofreram hidrogenólise sob condições de hidrogenação catalítica, originando perhidrocicloprop[b]pirrol-4-ils. No entanto, a 5-metoxi-4-metil-4-(3-oxo-(E)-1-butenil)-3,3,5-trifenilperhidro-2-pirrolidinona além de originar a formação do biciclo anterior, também levou à formação de 5-metoxi-4-metil-4-(3-oxo-butil)-3,3,5-trifenilperhidro-2-pirrolidinona quando submetida às condições de hidrogenação catalítica utilizando-se acetato de amônio como inibidor de hidrogenólise. As 5-pirrolin-2-onas também se mostraram bastante reativas quando submetidas a meio básico, sofrendo um rearranjo e originando 2-pirrolidinonas e 1-benzoil-2-pirrolidinona, dependendo do substituinte inicial na posição 3 da 1-azirina. A presença de dois centros altamente eletrofílicos nas 5-pirrolin-2-onas, nos permitiu utilizá-los os mesmos na construção de biciclos através da reação com nucleófilos bidentandos como hidrazina e hidroxilamina. A reação com hidrazina em excesso levou à formação de derivados hexahidropirrolo[2,3-c]pirazol-5-ona. Porém, quando a hidrazina foi utilizada em quantidade equimolar e a reação foi realizada sob atmosfera de nitrogênio, obtivemos derivados perhidropirrolo[2,3-c]pirazol-5-ona. A reação das 5-pirrolin-2-onas com hidroxilamima levou à formação de derivados de perhidropirrolo[2,3-c]isoxazol-5-ona. Tais compostos foram obtidos como produtos únicos ou pares de epímeros dependendo dos substituintes da posição 3 das 1-azirinas de partida. (AU)

Processo FAPESP: 96/00629-9 - Estudo da ratividade de 1-azirinas-3funcionalizadas frente a difenilceteno síntese de novas 2-pirrolonas e 2-azetidinonas derivadas
Beneficiário:José Nunes da Silva Júnior
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado