Busca avançada
Ano de início
Entree


Analise do efeito autocrino do fator de crescimento transformante-B1 na proliferação celular de fibroblastos gengivais de pacientes com fibromatose gengival hereditaria

Autor(es):
Cleverton Roberto de Andrade
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Odontologia de Piracicaba
Data de defesa:
Membros da banca:
Silvio Sanches Veiga; Oslei Paes de Almeida
Orientador: Ricardo Della Coletta
Resumo

IFGH é uma condição oral rara caracterizada por um aumento gengival generalizado com crescimento lento e progressivo. Evidências experimentais de monstram que o aumento gengival observado em pacientes com FGH pode estar associado com uma elevada capacidade proliferativa de fibroblastos residentes, um aumento na síntese de colágeno ou uma redução nos níveis de expressão, produção e secreção de MMPs. TGF-B1 é uma citocina com papel importante na patogênese de desordens fibróticas, incluindo FGH, devido a sua habilidade de estimular a síntese e reduzir a degradação de MEC. Embora tenha sido demons trado que em FGH, TGF-B1 em uma fração autócrina reduz os níveis de expressão e produção de MMPs, o papel desta citocina na modulação do crescimento celular não foi ainda estabelecido nesta doença. O objetivo deste estudo foi verificar o comportamento proliferativo de fibroblastos gengivais de 12 pacientes com FGH e determinar o papel do efeito autócrino de TGF-B1 como um estimulador do crescimento celular, através de 2 métodos bem descritos na literatura: oligonucleotídeos antisense contra a região de tradução de TGF-B1 e anticorpos neutralizantes. Quatro diferentes ensaios de análise de proliferação celular: incorporação demonstraram que os índices de proliferação foram significantemente maiores em de BrdU, expressão de PCNA, análise quantitativa de AgNORs e índice mitótico fibroblastos de FGH que em células controle. Oligonucleotídeos antisense reduziram a produção de TGF-B1 como demonstrado por ELlSA, enquanto que os níveis de expressão de RNAm para TGF-B1 não foram alterados significantemente como revelado por RT-PCR. A redução na produção e atividade de TGF-B1 acompanhadas pelo tratamento com oligonucleotídeos e anticorpos neutralizantes, respectivamente, resultaram na redução na capacidade proliferativa de fibroblastos de FGH. Estes resultados indicam a existência de um papel autócrino de TGF-B1 como um estimulador da proliferação celular de fibroblastos de FGH (AU)

Processo FAPESP: 99/07933-3 - Análise proliferativa e morfológica em cultura celular de fibroblastos gengivais de pacientes com fibromatose gengival hereditária
Beneficiário:Cleverton Roberto de Andrade
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado