Busca avançada
Ano de início
Entree


Adaptações induzidas pelo treinamento fisico no metabolismo oxidativo e sistema de defesa antioxidante em musculo e sangue de ratos e sua correlação com os níveis de lesão muscular

Autor(es):
Claudio Cesar Zoppi
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Biologia
Data de defesa:
Membros da banca:
Bayardo Baptista Torres; Antonio Herbert Lancha Junior
Orientador: Denise Vaz de Macedo
Resumo

O treinamento físico é adaptações ao organismo, que nível muscular. Uma das adaptações já bem estabelecida na literatura é o aumento da capacidade oxidativa muscular, devido principalmente ao aumento na atividade de enzimas do ciclo de Krebs, da ?-oxidação de ácidos graxos e também da cadeia de transporte de elétrons. No entanto é sabido que o exercício físico é responsável pelo aumento na produção de radicais livres, que se não forem devidamente seqüestrados, podem iniciar um processo deletério às células através da oxidação de estruturas essenciais ao seu funcionamento tais como proteínas, membranas e até o DNA, ocasionando até a morte celular. Estudos vem demonstrando que o sistema enzimático de defesa antioxidante também tem sua capacidade aumentada em vários tecidos em decorrência do treinamento físico porém, os resultados nesse sentido ainda são inconclusivos e portanto são alvo de estudos. Neste sentido, para esta dissertação de mestrado, nossos objetivos foram: inicialmente analisar o perfil adaptativo tanto do metabolismo oxidativo quanto do sistema de defesa antioxidante em músculo esquelético (Sóleo) e também no sangue (Hemáceas). E num segundo momento estudamos as diferenças nas respostas adaptativas induzi das por dois protocolos de treinamento diferentes (contínuo e intermitente) utilizando também os dois sistemas citados anteriormente. Nossos resultados indicaram que o perfil adaptativo tanto oxidativo quanto do sistema de defesa antioxidante se dão de forma paralela no músculo Sóleo e nas Hemáceas e que o treinamento intermitente é mais eficiente em aumentar a capacidade oxidativa, enquanto que o treinamento contínuo se mostrou mais eficiente em aumentar a capacidade de defesa antioxidante (AU)

Processo FAPESP: 96/12473-3 - Correlação entre os sistemas oxidativos e antioxidantes ao longo de um treinamento de endurance em ratos
Beneficiário:Claudio Cesar Zoppi
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado