Busca avançada
Ano de início
Entree


Gramaticalização dos itens linguisticos assim, ja e ai no portugues brasileiro : um estudo sob a perpectiva da gramatica discursivo-funcional

Autor(es):
Edson Rosa Francisco de Souza
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Estudos da Linguagem
Data de defesa:
Membros da banca:
Mariangela Rios de Oliveira; Marize Mattos Dall'Aglio Hattnher; Sebastião Carlos Leite Gonçalves; Angel Humberto Corbera Mori
Orientador: Ingedore Grunfeld Villaça Koch
Resumo

O objetivo desta pesquisa é analisar a multifuncionalidade dos itens lingüísticos assim, já e aí no Português brasileiro, sob a perspectiva teórica da Gramática Discursivo-Funcional (HENGEVELD & MACKENZIE, 2008) e da Gramaticalização (HOPPER & TRAUGOTT, 1993; TRAUGOTT, 1995; etc), levando em consideração suas funções dêiticas, textuais, interacionais. Nesse contexto, a gramaticalização é entendida aqui como um processo de mudança lingüística que leva um item lexical (ou gramatical) a assumir funções mais gramaticais, em direção ao componente pragmático da língua (TRAUGOTT, 1982; TRAUGOTT, 1995, 1999; TRAUGOTT & KÖNIG, 1991). Em outras palavras, trata-se de um processo de mudança que envolve, segundo os autores, tanto o aumento gradual da pragmatização do significado (inferência) quanto o aumento de abstratização do item lingüístico (estratégias metafóricas), que parte do uso mais concreto para o uso mais abstrato/expressivo. Assim, com base nos postulados teóricos da Gramaticalização e da Gramática Discursivo-Funcional, meu propósito é mostrar que os itens assim, já e aí podem ser analisados conforme os níveis (Representacional e Interpessoal) e as camadas (semânticas e pragmáticas) de organização da GDF, de modo que a expansão funcional desses elementos nos níveis e nas camadas da GDF pode ser elencada como uma evidência lingüística de que esses elementos estão se gramaticalizando na língua, assumindo outras funções gramaticais e discursivas ao longo do seu percurso de mudança lingüística, em direção às dimensões textual e interacional da língua. De posse das categorias semânticas e pragmáticas propostas pela GDF, mostro que os usos mais concretos de assim, já e aí, tais como os de advérbio de modo, advérbio de tempo e advérbio de lugar, respectivamente, estão situados na camada do evento, do Nível Representacional, e à medida que esses itens vão assumindo outras funções na língua, tais como funções textuais (advérbio anafórico, advérbio catafórico, introdutor de episódios, advérbio relacional e conjunção coordenativa e subordinativa) e funções discursivas (introdutor de Conteúdo comunicado, operador aproximativo de subatos referencial e adscritivo, marcador discursivo e organizador de tópico), esses elementos passam também a operar em outras camadas do Nível Representacional e do Nível Interpessoal, percorrendo uma trajetória unidirecional de mudança, que vai do Nível Representacional para o Nível Interpessoal. Essa trajetória de GR dos dados atuais de assim, já e aí é parcialmente confirmada pela análise diacrônica desses elementos adverbiais em documentos históricos dos séculos XIII-XX. Aanálise diacrônica, além de atestar o caráter gradual da mudança, consegue capturar vários estágios de GR dos itens assim, já e aí, em especial os usos textuais, que se mantêm até os dias atuais. A análise dos dados é composta por 2914 ocorrências extraídas dos 38 inquéritos do Banco de dados IBORUNA. Desse total, o item aí responde por 45% (1298/2914) dos dados e o item assim por 41% (1199/2914). O item já é o menos freqüente nos inquéritos analisados, somando apenas 417 ocorrências (14% dos dados). Em linhas gerais, a análise dos dados mostra que, em termos de GR, o item lingüístico assim é o elemento mais gramaticalizado nos dados catalogados do Português, que, além de operar nas camadas semânticas do Nível Representacional, opera também na camada mais elevada do Nível Interpessoal, que é a do movimento, definida como a mais gramatical/expressiva. Em seguida, tem-se o item aí, que exerce funções interacionais somente até a camada do ato discursivo, que é escopada pela camada do movimento. Nesse sentido, comparado aos demais itens em análise, o item já mostrou ser o menos gramaticalizado, pelo fato de seus usos se concentrarem mais nas camadas semânticas do Nível Representacional, com apenas alguns usos interpessoais. Essa configuração funcional é ratificada pelos critérios de GR de Hopper (1991), que mostram que os itens lingüísticos assim, já e aí estão ainda em processo de mudança, fato que é confirmado pelos parâmetros de GR de Lehmann (1995), que apontam que esses itens ainda gozam de uma certa autonomia no Português brasileiro, justamente por atuarem também como advérbios de modo, tempo e lugar (AU)

Processo FAPESP: 04/10894-0 - Os adverbios de tempo e lugar no portugues brasileiro: casos de gramaticalizacao ou de discursivizacao?
Beneficiário:Edson Rosa Francisco de Souza
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado