Busca avançada
Ano de início
Entree


Prevalência da mutação germinativa TP53 p.R337H na região metropolitana de Campinas e cidades circunvizinhas

Autor(es):
Isabel Pereira Caminha
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Biologia
Data de defesa:
Membros da banca:
Maria Isabel Alves de Souza Waddington Achatz; Juliana Godoy Assumpção; Louis Bernard Klaczko; Juliana Sampaio Farinaci
Orientador: José Andrés Yunes
Resumo

A mutação germinativa p.R337H do gene TP53 está associada à alta incidência de tumores do córtex da adrenal (TCA) em regiões Sul e Sudeste do Brasil, onde as evidências indicam a ocorrência de efeito fundador. A alta frequência de relatos desta mutação no Sul do Brasil nos encorajou a desenvolver um método adequado para a detecção de mutações em larga escala, com o objetivo de determinar a incidência da p.R337H em uma população de São Paulo, o Estado mais populoso do Brasil. Um novo método foi desenvolvido a fim de detectar a mutação p.R337H em amostras armazenadas em papel filtro, utilizando PCR em tempo real. Amostras de DNA genômico de 34.344 recém-nascidos de uma região específica do Estado de São Paulo foram selecionadas para detectar a frequência desta mutação germinativa. PCR Alelo-específico e Nested-PCR foram utilizados para verificar a presença do haplótipo fundador brasileiro em recém-nascidos portadores da mutação. Entre as 34.344 amostras triadas, 75 foram identificadas como portadores da mutação p.R337H. Esta frequência (0,21%) é semelhante à encontrada na região Sul do Brasil. O haplótipo fundador brasileiro foi identificado em todos os pacientes em que a amostra foi adequada para esta análise. A distribuição da mutação mostrou-se heterogênea, sendo mais abundante em cidades da fronteira com o sul do Estado de Minas Gerais. Nossos dados indicam que a frequência encontrada na população analisada está próxima à encontrada em outras regiões do Brasil. Além disso, a presença do haplótipo fundador em todas as portadoras corrobora a hipótese de efeito fundador. Desenvolveu-se tecnologia adequada para triagem em larga escala, utilizando amostras coletadas em papel filtro. A identificação de portadores ao nascimento pode aumentar as chances de diagnóstico precoce, melhorando o prognóstico destes pacientes e alertando os membros da família sobre um aumento da susceptibilidade para outros tipos de câncer. Entretanto, estudos posteriores são necessários, por exemplo, para avaliar a ocorrência de câncer de adulto em portadores da mutação, bem como o impacto psicológico de um programa de triagem na população saudável e na grande maioria dos portadores, os quais não desenvolverão a doença. (AU)

Processo FAPESP: 11/05657-2 - Prevalência e impacto da mutação germinativa TP53 R337H na Região Metropolitana de Campinas
Beneficiário:Isabel Pereira Caminha
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado