Busca avançada
Ano de início
Entree


Resistencia a leprose e a mancha marrom de alternaria em citros : caracterização de hibridos, herança, mapeamento genetico e expressão genica

Autor(es):
Marines Bastianel
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Biologia
Data de defesa:
Membros da banca:
Dario Grattapaglia; Renato Beozzo Bessanezi; Anete Pereira de Souza; Maria Elisa Ayres Guidetti Zagatto Paterniani
Orientador: Marcos Antonio Machado
Resumo

A leprose dos citros e a mancha marrom de Alternária são importantes doenças da citricultura. O conhecimento dos mecanismos genéticos envolvidos nas resistências apresentadas por algumas espécies e híbridos de citros a estas doenças é de fundamental importância para o desenvolvimento de estratégias para o melhoramento genético visando à utilização de resistência varietal. Neste aspecto, este trabalho teve como objetivo principal estudar a herança genética das resistências dos citros à leprose e à mancha marrom de Alternária, baseando-se em mapeamento genético e localização de QTL (quantitative traits loci) e análise de genes diferencialmente expressos para leprose através da técnica de hibridação subtrativa por supressão (SSH). Uma população de 143 híbridos interespecíficos, obtidos do cruzamento dirigido entre as variedades tangor ‘Murcott’ [Citrus reticulata (L.) Blanco x C. sinensis (L.) Osbeck], resistente à leprose e suscetível à mancha marrom de Alternária e laranja ‘Pêra’ (C. sinensis (L.) Osb.), suscetível à leprose e resistente à mancha marrom, juntamente com seus parentais, foi estabelecida em campo e avaliada quanto à leprose e Alternária por três anos. As plantas foram inoculadas com o vírus da leprose dos citros, tipo citoplasmático (CiLV-C) pelo seu vetor, o ácaro Brevipalpus phoenicis (Geijskes, 1939) (Acari: Tenuipalpidae) e naturalmente infestadas pelo fungo Alternaria alternata patotipo tangerina, agente causal da mancha marrom de Alternária. As plantas foram genotipadas com marcadores AFLP (amplified fragment length polymorphism) e RAPD (random amplified polymorphic DNA). Foi realizado um estudo de diversidade genética entre os híbridos por marcadores moleculares através do aplicativo NTSYS v.2.0. Variáveis de incidência e severidade para leprose e de crescimento vegetativo (altura de planta e diâmetro de tronco) mostraram valores altos de herdabilidade no terceiro ano de avaliação (0,88 a 0,96) para as características de incidência e severidade da doença e intermediários para os parâmetros relacionados com crescimento (diâmetro de tronco e altura de planta) (0,64 e 0,68). A variável “número de ponteiros afetados” foi avaliada por dois anos para a mancha marrom de Alternária. Mapas genéticos para cada parental e um mapa integrado foram obtidos, respectivamente, através dos aplicativos Mapmaker v.2.0 e JoinMap 3.0. As análises de QTLs foram realizadas pelo aplicativo MAPQTL v.4.0 no mapa integrado, sendo localizados um QTL consistente para as características de incidência e severidade avaliadas para leprose e um QTL para a característica “número de ponteiros afetados” para a mancha marrom de Alternária. As análises das seqüências diferencialmente expressas, em condições de inoculação do CiLVC pelo seu vetor, através da técnica SSH, permitiram identificar um grande número de genes se expressando no parental resistente tangor ‘Murcott’ e envolvidos em diversos processos relacionados à resistência a fitopatógenos como: resposta a estresses oxidativos, percepção e transdução de sinal, degradação controlada de proteínas e síntese de proteínas relacionadas à patogenicidade. Os resultados obtidos sugerem uma grande diversidade genética dentro da progênie avaliada e que as doenças leprose e mancha marrom de Alternária possivelmente são controladas por poucos genes. Esse é o primeiro trabalho que aborda estudos da herança genética da resistência à leprose e de genes expressos em resposta de plantas de citros ao CiLV-C. (AU)

Processo FAPESP: 01/08181-7 - Leprose dos citros: mapeamento genético e expressão diferencial de genes em laranja, tangor e híbridos
Beneficiário:Marinês Bastianel
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado