Busca avançada
Ano de início
Entree


Produção de oxido nitrico pela oxido nitrico sintase, nitrato redutase e uma atividade mitocondrial redutora de nitrito na resposta de defesa de Arabidopsis thaliana a Pseudomonas syringae

Autor(es):
Luzia Valentina Modolo
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Biologia
Data de defesa:
Membros da banca:
Marcia Regina Braga; Carmem Verissima Ferreira; Jose Ronaldo de Magalhães; Marcos Antonio Machado; Selma Giorgio; Carlos Francisco Sampaio Bonafe
Orientador: Ione Salgado Martins
Resumo

A origem do óxido nítrico (?NO) em plantas tem sido controversa e uma enzima do tipo óxido nítrico sintase (NOS), bem como nitrato redutase (NR) são consideradas possíveis fontes deste radical livre. Contudo, ainda não há nenhuma evidência direta da formação de ?NO a partir da NR durante interações planta-patógeno. Nos estudos aqui descritos foram utilizadas plantas de Arabidopsis thaliana deficientes na enzima NR para investigar o mecanismo de produção de ?NO em resposta à inoculação da bactéria Pseudomonas syringae pv. maculicola (Psm). Aumento na síntese de L-citrulina a partir de L-arginina foi observado em homogenatos de folhas de plantas do tipo selvagem e daquelas deficientes na síntese de NR, após inoculação com Psm. Experimentos de ressonância paramagnética eletrônica, contudo, mostraram uma produção muito maior de ?NO dependente de NO2-, mas não de L-arginina ou NO3-, síntese esta inibida por alta concentração de L-arginina. A inibição da cadeia de transporte de elétrons da mitocôndria aboliu ou inibiu parcialmente esta atividade em plantas mutantes ou selvagens, respectivamente. A utilização do marcador fluorescente 4,5 diaminofluoresceína diacetato (DAF-2DA) mostrou que a inoculação com Psm aumentou substancialmente a produção de ?NO in situ em plantas selvagens, mas não em mutantes deficientes na síntese de NR. No entanto, a infiltração de L-arginina ou NO2- causou uma produção de ?NO in vivo nas plantas mutantes. Plantas de A. thaliana deficientes na síntese de NR mostraram suscetibilidade à P. syringae que foi prevenida pela co-infiltração de NO2-. O conjunto de resultados sugere que NOS, NR e uma importante atividade mitocondrial de redução de NO2- podem cooperar para produzir ?NO em quantidade suficiente para prevenir a disseminação de Psm em plantas de A. thaliana (AU)

Processo FAPESP: 01/05613-3 - Estudo da participação do óxido nítrico (NO) no controle do desenvolvimento de Arabidopsis thaliana e no mecanismo de resistência a Pseudomonas syringae pv. maculicola: distinção entre a produção de NO pelas enzimas óxido nítrico sintase e nitrato redutase
Beneficiário:Luzia Valentina Modolo
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado