Busca avançada
Ano de início
Entree


Integração entre vias metabolicas e inflamatorias durante a esteatose hepatica induzida por dieta hiperlipidica

Autor(es):
Dennys Esper Correa Cintra
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Faculdade de Ciencias Medicas
Data de defesa:
Membros da banca:
Tania Cristina Pithon Curi; Jacqueline Pontes Monteiro; Marcio Alberto Torsoni; Everardo Magalhães Carneiro
Orientador: Licio Augusto Velloso
Resumo

A obesidade se manifesta de forma pandêmica, acometendo milhões de pessoas, principalmente nos países ocidentais e industrializados. Além dos inúmeros aspectos comportamentais e sociais, o desenvolvimento dessa doença contribui consideravelmente para o aumento da morbidade e mortalidade em decorrência de sua freqüente associação com outras doenças que compõem a síndrome metabólica, tais como, diabetes mellitus, hipertensão arterial, dislipidemia, ovários policísticos, esteatose hepática, entre outras. Os distúrbios no metabolismo de ácidos graxos frequentemente relacionados à obesidade contribuem para a disfunção de múltiplos órgãos e sistemas. No fígado, o simples acúmulo de gordura no parênquima (esteatose hepática) pode ser um estado transitório e benigno, facilmente reversível. Entretanto, com a perpetuação do quadro, e dependendo de algumas características genéticas ainda pouco conhecidas, ativa-se uma resposta inflamatória que desempenhará papel central na progressão da esteatose para esteato-hepatite, fibrose e cirrose, sendo esta um estágio final da doença hepática. Durante a instalação da inflamação hepática, uma série de citocinas pró-inflamatórias são expressas e participam da indução da disfunção orgânica. Entretanto, alguns estudos recentes revelam que a interleucina-10 (IL-10), uma citocina antiinflamatória, também é produzida no fígado e que sua presença nesse contexto ameniza a progressão para graus avançados de lesão hepática. O objetivo desse trabalho foi investigar como a IL- 10 endógena modula alguns parâmetros inflamatórios e metabólicos no fígado de um modelo animal de obesidade, resistência à insulina e esteato-hepatite induzidos por dieta. Para tal, a IL-10 foi inibida in vivo por técnicas de inativação com anticorpo específico e oligonucleotídeos de cDNA modificado complementares ao RNAm dessa proteína, impedindo sua tradução. A inibição da IL-10 em animais que consumiram dieta rica em gordura acentuou a disfunção hepática, inibindo a atividade de importantes proteínas como as do receptor de insulina e seus substratos (IR, IRS-1 e IRS-2), fomentando o processo inflamatório local e ativando vias pró-apoptóticas. A partir desses resultados, conclui-se que a IL-10 endógena atua como um fator protetor, controlando vias inflamatórias durante a progressão da esteatose para esteato-hepatite não alcoólica. (AU)

Processo FAPESP: 04/16087-9 - Integração entre vias metabólicas e inflamatórias durante a indução de esteatose hepática induzida por dieta hiperlipídica
Beneficiário:Dennys Esper Corrêa Cintra
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado