Busca avançada
Ano de início
Entree


Avaliação de propriedades de concretos de cimento Portland de alto-forno e cimento Portland de alta resistencia inicial submetidos a diferentes condições de cura

Autor(es):
Epaminondas Luiz Ferreira Junior
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo
Data de defesa:
Membros da banca:
Vitor Antonio Ducatti; Maristela Gomes da Silva
Orientador: Gladis Camarini
Resumo

A durabilidade do concreto é dependente de fatores que vão desde a sua produção (tipo de cimento, de agregados, adensamento, tipo de cura, etc.) até a influência do meio ao qual o material está exposto. Este trabalho teve por objetivo avaliar algumas propriedades mecânicas e a durabilidade de concretos produzidos com cimento Portland com elevado teor de escória (CP III) e cimento Portland de alta resistência inicial (CP V -ARI). Os concretos foram submetidos a quatro tipos de cura: normal, imerso em água por 7 dias, ao ar e térmica. Na cura térmica foram empregadas duas temperaturas de cura: 60°C e 80°C. Para avaliação da resistência mecânica, foram realizados ensaios de compressão axial e tração por compressão diametral. Para a durabilidade, foram realizados ensaios de absorção capilar, permeabilidade ao ar, carbonatação natural e acelerada e penetração de cloretos. A microscopia eletrônica de varredura foi usada para observação microestrutura dos compostos hidratados e o efeito dos ensaios acelerados, tendo como variáveis o tipo de cimento e o regime de cura. Os resultados obtidos mostraram que a cura térmica não contribui significativamente para a elevação da resistência nas primeiras idades para os concretos produzidos com CP V-ARI, mas melhora em muito a resistência dos concretos produzidos com CP-III, principalmente na temperatura de 80°C. Quanto à durabilidade, os concretos com CP V -ARI apresentaram bons resultados com relação a carbonatação, mas mostraram resultados mais elevados na absorção e penetração de cloretos. A cura por imersão em água até sete dias mostrou-se satisfatória, atingindo resultados similares em relação à cura normal em todas as propriedades estudadas. Os piores resultados, tanto mecânicos quanto de durabilidade, foram obtidos pelas amostras curadas ao ar, e foram mais prejudiciais nos concretos produzidos com CP III. Concluiu-se que um regime de cura adequado é essencial para garantir a resistência mecânica e a durabilidade dos concretos, e que a resistência mecânica não pode ser usada como parâmetro de durabilidade (AU)

Processo FAPESP: 01/12785-5 - Avaliacao do desempenho de concretos submetidos a cura termica propriedades mecanicas, durabilidade e microestrutura.
Beneficiário:Epaminondas Luiz Ferreira Junior
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado