Busca avançada
Ano de início
Entree


Vilegiaturas de prazer e a formação de uma cultura burguesa na cidade balneária de Poços de Caldas entre os anos de 1930 e 1940

Autor(es):
Jussara Marques Oliveira Marrichi
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas
Data de defesa:
Membros da banca:
Marcos Tognon; Ana Aparecida Villanueva Rodrigues; Ademir Gebara; Myrian Bahia Lopes
Orientador: Edgar Salvadori de Decca
Resumo

Na década de 30, em nosso país, uma nova cultura burguesa começava a se afirmar no centro de um espaço balneário que havia sido projetado em meados dos anos de 1920 na Europa a pedido do governo mineiro que almejava transformar Poços de Caldas na primeira cidade balneária do Brasil. Em 1931 as três grandes obras que haviam sido pensadas e construídas por uma comissão renomada de médicos, engenheiros e arquitetos apareciam no cenário nacional e internacional como símbolos de um lugar civilizado e moderno que representava realmente a novidade de Poços de Caldas como a primeira cidade balneária da América Latina. No entanto, faltava-lhe ainda a alta frequência de visitantes que desde o final do século XIX já movimentava as cidades balneárias europeias. Esta tese, portanto, é a investigação histórica a partir da leitura da imprensa local e de revistas e periódicos de circulação nacional que nos possibilitaram compreender o modo como foi sendo construído no imaginário social o início de uma cultura burguesa que precisou aprender os novos usos do espaço balneário e da água termal para firmar-se como um novo grupo (posteriormente desejado e copiado) que instituiu novos comportamentos diante de um processo civilizador das águas quentes em nosso país que consequentemente contribuiu para a ocorrência de novos desejos na elite brasileira. Estes desejos que instituíram a prática da vilegiatura de repouso já no início da década de 30 e a sua consequente transformação na atividade organizada do turismo foram também elementos primordiais para o deslocamento destas mesmas pessoas que já nos anos quarenta atribuíram valores a novos comportamentos que com o tempo foram contribuindo gradativamente para o enfraquecimento deste tipo de cidade balneária na história moderna das viagens por prazer em nosso país. (AU)

Processo FAPESP: 10/51247-8 - Vilegiaturas de prazer e a formação de uma cultura burguesa na cidade balneárea de Poços de Caldas entre os anos 1930 e 1940
Beneficiário:Jussara Marques Oliveira Marrichi
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado