Busca avançada
Ano de início
Entree


Efeito da terapia cognitivo-comportamental e exercícios versus programa de exercícios supervisionados em pacientes com dor lombar crônica não específica: estudo controlado aleatorizado

Texto completo
Autor(es):
Mauricio Oliveira Magalhães
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina
Data de defesa:
Membros da banca:
Amelia Pasqual Marques; Raquel Aparecida Casarotto; Elizabeth Alves Gonçalves Ferreira; Fabio Jorge Renovato França
Orientador: Amelia Pasqual Marques
Resumo

Objetivo: Comparar a efetividade da atividade gradual versus programa de exercícios supervisionados em pacientes com dor lombar crônica não específica para os desfechos intensidade da dor, qualidade da dor, incapacidade funcional, qualidade de vida, percepção do efeito global, retorno ao trabalho, atividade física, capacidade física e cinesiofobia. Método: Participaram do estudo 66 indivíduos com idade entre 18 a 65 anos com dor lombar crônica não específica, randomizados em dois grupos: Grupo atividade gradual (n=33) e Grupo fisioterapia (n=33). Os desfechos primários foram: intensidade da dor (Escala Numérica de dor) e incapacidade funcional (Questionário de Incapacidade de Roland Morris) e os defechos secundários: Qualidade da dor (Questionário de dor de McGill) qualidade de vida (Short-Form Health Survey Questionnaire), Percepção do Efeito Global (Escala de Percepção do Efeito Global), retorno ao trabalho, atividade física (Questionário de atividade física habitual de Baecke), capacidade física (Teste sentado para de pé e Teste de Caminhada de 15,2 metros), cinesiofobia (Escala Tampa para Cinesiofobia). As intervenções foram individualizadas, com duração de uma hora, por seis semanas e frequência de duas vezes por semana. Cada indivíduo foi avaliado na linha de base e no follow up de seis semanas, três e seis meses após o tratamento. O nível de significância estabelecido foi de ?=0,05. Resultados: Após seis meses, ambos os grupos melhoraram, porém não houve diferença significante entre os grupos para intensidade da dor (média da diferença de 0,1 pontos; IC a 95% -1,1 a 1,5) e incapacidade funcional (média da diferença de 0,0; IC a 95% -2,9 a 3,0). Não foram encontradas diferenças estatisticamente significante entre os grupos para os demais desfechos. Conclusão: Nossos resultados sugerem que atividade gradual e fisioterapia apresentam efetividade similar na redução da intensidade da dor e melhora da incapacidade funcional em pacientes com dor lombar crônica não específica (AU)

Processo FAPESP: 12/18182-5 - Efeito da Terapia Cognitivo Comportamental e exercícios versus Programa de exercícíos supervisionados em pacientes com dor lombar cronica não específica: Estudo Controlado Aleatorizado
Beneficiário:Maurício Oliveira Magalhães
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado