Busca avançada
Ano de início
Entree


Marcadores séricos no diagnóstico de infecções pulmonares em pacientes infectados pelo HIV/aids

Texto completo
Autor(es):
Ana Isabela Morsch Passos
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas
Data de defesa:
Orientador: Maria Luiza Moretti
Resumo

A etiologia e a frequência das infecções pulmonares fúngicas no paciente infectado pelo HIV variam de acordo com a região geográfica e a disponibilidade de terapia antirretroviral (TARV). O diagnóstico apropriado do agente etiológico leva a uma terapêutica adequada e melhor entendimento da epidemiologia das afecções pulmonares responsáveis por hospitalizações nesse grupo de pacientes. Objetivo: Avaliar a ocorrência e a prevalência de infecções pulmonares fúngicas em pacientes adultos infectados pelo HIV, hospitalizados com quadros respiratórios agudos no Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas. Metodologia: Foi realizado estudo prospectivo, de coorte transversal, entre 2012 e 2016, incluindo pacientes adultos, infectados pelo HIV, hospitalizados em decorrência de infecção pulmonar. O diagnóstico de pneumonia por Pneumocystis jirovecii (pneumocistose) foi definido pelos critérios clínicos da Organização Mundial da Saúde. O diagnóstico de pneumonia adquirida na comunidade (PAC) e infecção do trato respiratório inferior (ITRI) foi baseado em critérios clínicos e radiológicos. Dados clínicos e epidemiológicos dos pacientes foram coletados nos prontuários médicos. Foram coletadas amostras de sangue para análise de: (1,3)-ß-D-Glucana (BG), galactomanana (GM) e lactato desidrogenase (LDH), além de amostras respiratórias para teste de DNA de P. jirovecii por meio de loop-mediated isothermal amplification (LAMP). A associação entre as variáveis foi estudada por análise de regressão logística univariada e multivariada. Valores de p<0,05 foram considerados significativos. Resultados: Foram incluídos 60 pacientes (59% homens) com idade média de 43 anos. A maioria dos pacientes (n=32, 54%) apresentou valores de Linfócitos T CD4+ abaixo de 100 células/mm3 e a carga viral do HIV foi indetectável em 13 casos (22%). Os pacientes foram classificados em três grupos, de acordo com o diagnóstico: pneumocistose (19 pacientes), PAC (18 pacientes) e outras infecções (23 pacientes: cinco com tuberculose, nove com ITRI, dois com histoplasmose, um com nocardiose, um com criptococose, um com estrongiloidíase disseminada, um com tromboembolismo pulmonar e três pacientes sem diagnóstico conclusivo). Nove pacientes, sendo quatro no grupo pneumocistose, foram a óbito. Maiores valores de BG foram encontrados no grupo pneumocistose (média de 240 pg/mL vs. 36 pg/mL no grupo PAC vs. 67 no grupo outros) (p<0,0001). A média de LDH foi significativamente maior no grupo pneumocistose (média de 762 U/L vs. 379 U/L no grupo PAC vs. 442 U/L no grupo outros) (p=0,003). Maiores valores de BG e LDH foram as únicas variáveis independentemente associados ao diagnóstico de pneumocistose. A pneumocistose foi a doença definidora de aids em 11 dos 16 pacientes diagnosticados pelo HIV na ocasião da internação hospitalar. LAMP foi útil na identificação de DNA de P. jirovecii apenas em cinco (1 amostra de lavado broncoalveolar e 4 amostras de escarro) de 12 pacientes testados com diagnóstico de pneumocistose. Conclusão: Na era da terapia antirretroviral, a pneumocistose ainda é a infecção pulmonar mais prevalente e que causa a maior mortalidade, apesar da existência de um Programa Nacional de HIV/aids, com livre acesso à TARV. BG e LDH foram marcadores úteis no diagnóstico da pneumocistose no grupo de pacientes estudados. Há a necessidade de aprimorar as técnicas de diagnóstico precoce das infecções relacionadas ao HIV, reduzindo assim o número de pacientes vivendo com aids e doenças oportunistas (AU)

Processo FAPESP: 12/51158-0 - Aplicação de novas tecnologias para o aprimoramento do diagnóstico e manejo das infeccções fúngicas em pacientes com AIDS e outras condições imunodepressoras
Beneficiário:Maria Luiza Moretti
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Regular