Busca avançada
Ano de início
Entree


Saturação do mapa genético molecular de Urochloa humidicola = Saturation of molecular genetic map in Urochloa humidicola

Texto completo
Autor(es):
Jean Carlos de Souza Santos
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia
Data de defesa:
Resumo

Extensas áreas do Brasil são destinadas ao cultivo de pastagens, cuja finalidade é a alimentação bovina. Estas áreas são ocupadas por diversas espécies forrageiras, incluindo as pertencentes ao gênero Urochloa, formado por algumas das espécies mais plantadas no país, como a U. humidicola. Esta espécie é um hexaploide que se reproduz por meio de apomixia, sendo originária da África; como principais características apresenta tolerância a áreas úmidas e solos ácidos e capacidade de resistir bem ao pastejo pesado. Há poucas décadas, a Embrapa iniciou um programa de melhoramento em Urochloa, no qual diversos cruzamentos já foram realizados em várias espécies do gênero, inclusive em U. humidicola: a cultivar comercial BRS Tupi foi cruzada com o acesso H031, único genótipo sexual presente no Banco de Germoplasma (BAG) da Embrapa, gerando uma população de 364 genótipos, dos quais 279 indivíduos foram identificados como sendo híbridos F1. Estes híbridos foram utilizados na construção de um mapa genético obtido por meio de marcadores microssatélites, desenvolvidos exclusivamente para a espécie. No entanto, devido à pouca saturação do mapa, neste trabalho novos marcadores SSR foram desenvolvidos e utilizados para saturar o mapa genético-molecular preliminar da espécie. O mapa genético atual foi construído com um total de 122 locos SSR, constituído por 294 marcas, das quais 133 foram introduzidas por meio dos novos SSR. Estas marcas foram distribuídas em 69 grupos de ligação (LGs), com tamanhos variando de 5,6cM a 135,5cM e cobertura de 3224,4cM. Os grupos de homologia (HGs) foram formados por marcadores contendo duas marcas ou mais ligadas ao mapa, estabelecendo, desta forma, a ligação entre os LGs. Seis HGs foram obtidos e dois LGs permaneceram não ligados. A fenotipagem para o modo de reprodução nos híbridos F1 possibilitou o mapeamento do caráter apomixia (apo-loco) no LG2 com distância de 23cM da marca Bh027.c.D2. Embora o novo mapa de U. humidicola conte com a inserção de novas marcas, este ainda necessita ser saturado com marcadores SNPs, possibilitando, assim, o aumento na densidade de marcadores no mapa, bem como a localização de marcas ligadas ao apo-loco e a outros caracteres de importância econômica (AU)

Processo FAPESP: 05/51010-0 - Desenvolvimento e caracterização de marcadores microssatélites em espécies forrageiras tropicais para utilização em estudos genéticos e melhoramento
Beneficiário:Anete Pereira de Souza
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Regular