Busca avançada
Ano de início
Entree


Atividade antiviral de extratos produzidos de bactérias isoladas e coletadas em cupinzeiros frente a vírus de importância humana e animal = Antiviral activity of extracts produced by isolated bacteria collected in termite mounds against important human and animal viruses

Texto completo
Autor(es):
Marina Aiello Padilla
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia
Data de defesa:
Resumo

As infecções virais acometem tanto humanos quanto animais. Problemas associados a falta de vacinas e o desenvolvimento de resistência aos medicamentos estimulam a pesquisa por compostos antivirais. As bactérias são responsáveis pela produção de inúmeros compostos com atividades biológicas importantes, portanto, esse trabalho teve como objetivo a busca por compostos antivirais produzidos por bactérias coletadas em cupinzeiros. Extratos provenientes de diferentes isolados de bactérias associadas ao cupim foram avaliados quanto a atividade antiviral in vitro frente a três vírus de importância para a saúde humana e animal: herpes humano tipo 1 (HHV-1), calicivírus felino (FCV)- modelo para o norovírus humano - e o vírus da diarréia viral bovina (BVDV) ¿ modelo para o vírus da hepatite C. Dos 90 extratos analisados, 10% apresentaram porcentagem de inibição (PI%) ? 98% contra pelo menos um dos vírus: cinco foram ativos frente ao HHV-1, três apresentaram atividade contra o FCV e dois foram ativos frente ao BVDV. Das espécies ativas, seis pertencem ao gênero Streptomyces, com uma delas identificada como S. chartreusis e quatro identificadas como sendo do gênero Achromobacter. Três extratos apresentaram índice de seletividade (IS) acima de 3,5 contra o HHV-1 com destaque ao CDPA10 (Streptomyces sp) com IS=17,10. Frente ao FCV e o BVDV dois extratos foram considerados promissores: o LC22 (IS=11,00), identificado como Streptomyces sp e o CDPA27 (S. chartreusis) com IS=3,5, respectivamente. Os extratos que destacaram-se quanto aos valores e IS foram também avaliados em uma triagem de mecanismo de ação. Dos três extratos com IS acima de 3,5 frente ao HHV-1, um apresentou atividade antiviral no pós tratamento. Os outros, incluindo o CDPA10 agem como inativadores virais. O extrato LC22, ativo contra o FCV apresentou atividade no pós tratamento e também como inativador viral. Por fim, o extrato proveniente do S. chartreusis (CDPA27), agiu no pós tratamento frente ao BVDV. Esses três extratos, CDPA10, LC22 e CDPA27 foram selecionados para o fracionamento em coluna C18 fase reversa em ordem crescente de metanol, originando seis frações. Todas as frações foram avaliadas contra seus respectivos vírus e como resultado foi possível observar que a fração 6 (100% metanol) foi a mais promissora dos três extratos. Essa fração do CDPA10 e do CDPA27, ativos contra o HHV-1 e BVDV respectivamente, apresentaram valor de PI=99%, enquanto a fração 6 do extrato LC22 (ativo contra o FCV) apresentou PI=90%. Nas avaliações quanto ao IS dessas frações promissoras, observou-se que os valores aumentaram consideravelmente tanto para o CDPA10 como para o CDPA27, já a fração do LC22 teve o valor de IS reduzido para 3,24. Finalmente, todos os extratos e suas frações promissoras foram analisados por cromatografia gasosa acoplada a espectrometria de massa (CG-MS). Esta análise, quando comparada aos compostos já descritos na biblioteca NIST/2005, não permitiu a identificação dos compostos devido a baixa similaridade. Estudos mais detalhados devem ser realizados a fim de identificar as espécies bacterianas e seus respectivos compostos ativos. Os resultados obtidos revelam novas perspectivas para a pesquisa antiviral a partir de produtos naturais e demonstra o potencial antiviral de compostos produzidos por bacterias associadas ao cupim (AU)

Processo FAPESP: 11/08962-0 - Estudo da atividade antiviral de extratos obtidos de bactérias isoladas e identificadas de cupinzeiros
Beneficiário:Clarice Weis Arns
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Regular