Busca avançada
Ano de início
Entree


Carotenoids and carotenoid esters in different citrus cultivars = composition, changes during ripening and bioaccessibility = Carotenoides e ésteres de carotenoides em diferentes cultivares de citros: amadurecimento e bioacessibilidade

Texto completo
Autor(es):
Fabiane Cristina Petry
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Engenharia de Alimentos
Data de defesa:
Orientador: Adriana Zerlotti Mercadante
Resumo

Os carotenoides, responsáveis pela cor da maioria dos citros, apresentam importantes ações biológicas em humanos e podem estar presentes tanto na forma livre ou esterificados com ácidos graxos em frutas. Portanto, é necessário determinar a composição nativa de carotenoides nos alimentos, pois esta é a forma como os mesmos são ingeridos. Também é fundamental determinar a fração destes compostos que será absorvida e estará apta a realizar a sua função bioativa. No presente estudo, foram investigados os carotenoides em diferentes cultivares de citros, envolvendo aspectos relacionados à composição, mudanças durante o amadurecimento e bioacessibilidade. Em alguns estudos, a manga foi utilizada como parâmetro de comparação com os citros devido à sua composição de carotenoides simples e bem estabelecida na literatura. Foi desenvolvido um novo método de extração de carotenoides de polpa liofilizada de citros a partir de agitação magnética. Os solventes utilizados foram acetato de etila e metanol, com adição de carbonato de sódio e a transferência líquido-líquido foi realizada em centrífuga. Este método é mais rápido que o usualmente empregado no laboratório, exato, preciso e foi aplicado com sucesso para a determinação da composição de carotenoides de laranja cv. `Valencia¿ e de manga. Este método foi aplicado também para analisar os carotenoides em tangor cv. `Murcott¿, laranja cv. `Pera¿, e novos híbridos entre estas cultivares, em diferentes estádios de maturação. Os híbridos foram desenvolvidos pelo Instituto Agronômico de Campinas a fim de ampliar do número de variedades, visando contornar perdas econômicas causadas por problemas fitossanitários e aliando resistências de tangerinas e laranjas a diferentes doenças. Os híbridos apresentaram coloração mais intensa que o parental laranja cv. `Pera¿, sendo, mais apropriados para a utilização pela indústria de suco e consumo in natura, além de maiores valores de pró-vitamina A. Como resultado da intensa biossíntese de carotenoides durante o amadurecimento, houve aumento no teor de carotenoides da polpa em todas as amostras, bem como alterações características na cor da casca e da polpa. A composição nativa de carotenoides em laranjas cvs. `Valencia¿ e `Pera¿, tangor cv. `Murcott¿ e manga foi determinada neste trabalho, sendo que muitos compostos foram identificados pela primeira vez nessas amostras. Nas cultivares de laranja foram identificados 9 carotenoides livres, 38 monoésteres e 60 diésteres, sendo que os derivados de violaxantina, luteoxantina e anteraxantina foram os majoritários. Em tangor, foram identificados 8 carotenoides livres, 34 monoésteres e 33 diésteres, sendo que os ésteres de ?-criptoxantina e violaxantina foram os majoritários. Em citros, os carotenoides estão esterificados principalmente com ácido cáprico, láurico, mirístico, palmítico e oleico. Em manga foram identificados 5 carotenoides livres, 2 monoésteres e 19 diésteres. Por fim, a composição e a bioacessibilidade de carotenoides (carotenos, xantofilas livres e esterificadas) foram determinadas pela primeira vez em tangerinas cultivadas no Brasil. Diferenças entre as variedades tanto no conteúdo de carotenoides, quanto no composto majoritário foram observadas A bioacessibiliade variou de 11 a 41%, dependendo do cultivar e da polaridade dos carotenoides. A bioacessibilidade da (all-E)-ß-criptoxantina livre foi maior em relação aos seus ésteres e ao (all-E)-ß-caroteno (AU)

Processo FAPESP: 13/09804-5 - Carotenóides e ésteres de carotenóides em diferentes cultivares de Citrus: composição, bioacessibilidade e mudanças durante o amadurecimento
Beneficiário:Fabiane Cristina Petry
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado