Busca avançada
Ano de início
Entree


Desenvolvimento de um sistema de liberação sustentada de antimoniato de meglumina em lipossomas e avaliação de sua atividade em macrófagos DH82 infectados com "Leishmania infantum"

Texto completo
Autor(es):
Vicky Vanessa Ortega Gaona
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Data de defesa:
Resumo

A Leishmaniose visceral (LV), é uma doença fatal e negligenciada, considerada pela OMS uma das seis doenças endêmicas de maior relevância no mundo. A doença é uma zoonose que tem o cão doméstico como principal reservatório urbano do parasito L. infantum; e a infecção de cães domésticos é denominada Leishmaniose Visceral Canina (LVC). Os cães são considerados alvos estratégicos para o controle da doença. A infecção canina, geralmente, precede o aparecimento de casos humanos e é ainda, mais prevalente que a LV em humanos. No âmbito doméstico, a maioria dos cães com sorologia positiva não apresentam sinais clínicos, mas podem, como reservatórios,infectar os flebotomíneos. LVC é uma doença complexa e com altas taxas de prevalência, chegando a acometer 80 % de toda a população canina nas áreas endêmicas. A maioria dos estudos de candidatos a fármacos e sistemas de tratamentos para LVC foram realizados in vivo, sem condições experimentais controladas. Por isso, justifica-se o uso de linhagem de macrófagos de cão para estudos de toxicidade de fármacos in vitro. Além disso, considerando-se que não existe tratamento que garanta a cura parasitológica da LVC, é preciso desenvolver novas formulações farmacêuticas que ajudem melhorar a eficácia dos fármacos e tratamentos leishmanicidas, aumentando sua atividade e reduzindo a toxicidade. Neste trabalho se objetivou desenvolver, caracterizar e avaliar, um sistema de infecção de macrófagos DH82 com L.infantum (in vitro), uma formulação lipossomal de liberação sustentada para o fármaco leishmanicida antimoniato de meglumina (AME), um dos principais fármacos utilizados no tratamento da LV, com uma nova abordagem terapêutica para o tratamento da LVC. Lipossomas unilamelares grandes (LUV) compostos por fosfatidilcolina de ovo, fosfatidilserina e colesterol (4:0,4:3-razão molar) foram preparados por extrusão, em pH 7.4. A formulação lipossomal foi caracterizada quanto à eficiência de encapsulação do AME (23 %). As formulações foram acompanhadas por 180 dias de armazenamento a 4 ºC, quanto ao tamanho das vesículas polidispersão e potencial zeta. O diâmetro médio dos lipossomas encapsulados foi de 359 +/- 3,1 nm e o potencial zeta mostrou-se bastante negativo (-61,5 mV) pela presença do lipídio (PS) carregado negativamente, na formulação. Os níveis de peroxidação não ultrapassaram 1 % do total de lipídios da formulação. Testes de citotoxicidade in vitro, em culturas de células DH82 revelaram que a AME livre induziu morte celular concentração dependente, com redução de 50 % da viabilidade celular após 96 horas com 0,005 M; efeito diminuído com o AME lipossomal (L-AME), o qual não atingiu 50 % da diminuição da viabilidade celular em nenhuma das concentrações testadas, indicando menor potencial tóxico contra macrófagos para a formulação proposta. Testes de avaliação da atividade leishmanicida, revelaram capacidade do sistema AME lipossomal em diminuir a carga parasitária dos macrófagos de cão em 30 vezes, comparado com o controle de macrófagos infectados mas não tratados, também mostrou uma diminuição de 49 % da carga parasitária em macrófagos infectados quando comparada com o AME livre na sua máxima concentração (0,01 M) após 96 horas de tratamento. Finalmente encontrou-se colocalização e internalização dos lipossomas LUV (marcados com NDB-PE) e o parasito L.infantum-mcherry dentro dos macrófagos DH82 com um número superior às 3000 colocalizações nas 8 h e tratamento o que indica que quanto os lipossomas e o parasita tem o mesmo local de ação ajudando á entender os resultados obtidos nesta pesquisa quanto ao efeito leishmanicida do sistema lipossomal (AU)

Processo FAPESP: 14/12443-7 - Desenvolvimento de sistema de duplo carregamento para o antimoniato de meglumina e sua avaliação in vitro em macrófagos infectados com L. infantum
Beneficiário:Vicky Vanessa Ortega Gaona
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado