Busca avançada
Ano de início
Entree


Os tempos e os territórios na colonização italiana

Autor(es):
Saquet, Marcos Aurelio
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: Presidente Prudente. [2001]. 304 f., gráficos, ilustrações, mapas, tabelas.
Instituição: Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Faculdade de Ciências e Tecnologia
Data de defesa:
Membros da banca:
Sposito, Eliseu Savério; Costa, R. H.; Gallo, A.; Melo, J. G.; Oliveira, A. U.
Orientador: Sposito, Eliseu Savério
Área do conhecimento: Ciências Humanas - Geografia
Indexada em: Banco de Dados Bibliográficos Athena
Localização: Universidade Estadual Paulista. Campus de Presidente Prudente. Biblioteca da Faculdade de Ciências e Tecnologia; TESE; S242t
Resumo

A Colônia Silveira Martins foi construída a partir de 1878, no Rio Grande do Sul, por iniciativa do governo imperial, para alojar parte dos imigrantes italianos que chegavam ao Brasil naquele período. Sua criação aconteceu no processo de expansão do capitalismo no Brasil, em que conjugam fatores econômicos, políticos e culturais, e, no movimento simultâneo do formação de território brasileiro. Nosso objetivo geral é compreender sua gênese, os fatores que influenciaram seu ritmo de desenvolvimento econômico artesanal e as principais características territorias desse processo. Para tanto, identificamos as diferentes determinações, contextualizando seu processo de formação e desenvolvimento, entre 1878 e 1950, na dinâmica econômica e territorial no Rio Grande do Sul. Nesse período, a Colônia Silveira Martins teve um ritmo de desenvolvimento predominantemente lento, mas com a efetivação de tempos mais rápidos na produção artesanal, e, especialmente, na dinâmica mercantil. Concomitantemente, objetivam-se territórios na aparente homogeineidade do território produzido pelos italianos e seus descendentes. Territórios culturais e identitários; territórios econômicos dos artesãos e negociantes e, pelo menos, um território político sob o comendo dos agentes sociais articulados no Estado patrimonialista. (AU)

Processo FAPESP: 98/02896-0 - Colônia Silveira Martins: gênese e desenvolvimento (1878-1950)
Beneficiário:Marcos Aurelio Saquet
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado