Busca avançada
Ano de início
Entree


Efeito de diferentes modelos de treinamento com cargas controladas sobre marcadores fisiológicos, expressões gênicas e conteúdo proteicos da HIF-1a, PGC-1a, MCT1 e MCT4 : relações com o rendimento e atividade espontânea de ratos nadadores  

Texto completo
Autor(es):
Lucas Dantas Maia Forte
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Aplicadas
Data de defesa:
Orientador: Fúlvia de Barros Manhado Gobatto
Resumo

Objetivo: A presente pesquisa teve como objetivo investigar a influência da manipulação de diferentes relações de volume e intensidades de exercício físico (em isocarga), de maneira aguda e crônica, sobre adaptações moleculares, fisiológicas, morfológicas, comportamentais e de performance em ratos nadadores. Para tal, foram realizados dois experimentos que serão apresentados e discutidos separadamente. Experimento 1: o primeiro experimento testou o efeito agudo do exercício isocarga realizado sob diferentes intensidades que variaram de predominância aeróbia à anaeróbia. Para isso, determinou-se a intensidade de limiar anaeróbio (LAn) e em seguida os animais foram divididos em seis grupos: controle (GC) e animais exercitados à 80, 90, 100, 110 e 120 %LAn (G80, 890, G100, G110 e G120 respectivamente). Metade dos animais foram eutanasiados imediatamente após a sessão de exercício enquanto a outra metade, após quatro horas de repouso (possibilitando aumento de expressão dos genes de interesse). Foram analisados a expressão gênica de HIF-1?, PGC-1?, MCTs 1 e 4 e conteúdo proteico de MCTs 1 e 4 em tecido muscular esquelético, cardíaco e hepático. Também foram analisadas concentrações de glicogênio tecidual muscular e hepático bem como biomarcadores sanguíneos de lactato, glicose, colesterol total, triglicerídeos, proteína total, albumina, ácido úrico, lactato desidrogenase (LDH), creatina quinase, creatinina, ureia, lipoproteína de alta (HDL) e baixa densidade (LDL) e ácidos graxos livres. Resultados Exp. 1: Com relação aos parâmetros fisiológicos, observamos apenas aumento de lactacidemia e depleção de glicogênio em tecido hepático para animais exercitados em intensidade supralimiar. Para os parâmetros moleculares, foi observado apenas redução de HIF-1? e aumento de MCT1 hepático nos ratos exercitados. Experimento 2: o segundo experimento avaliou o efeito da exposição crônica do exercício em intensidades abaixo, no LAn e acima do LAn por dois modelos de treinamento, um não-periodizado, e outro com periodização linear com duração de 12 semanas. Além dos parâmetros analisados no Exp. 1, também foram mensurados o ganho de peso, ingestão hídrica e calórica, peso de gorduras brancas e tecido adiposo marrom e atividade física espontânea dos animais. Resultados Exp. 2: Os animais treinados preveniram a perda de capacidade aeróbia e o ganho exacerbado de massa corporal. A perda de peso foi acompanhada por redução de tecido adiposo branco e aumento de tecido adiposo marrom. Em termos de biomarcadores sanguíneos, observamos redução de lipídeos séricos para o grupo treinado sob periodização linear e redução de CK e ácido úrico em todos os animais treinados. Apenas o grupo periodizado apresentou supercompensação de glicogênio em tecido hepático. Com relação aos parâmetros moleculares apenas algumas alterações pontuais foram observadas, como: maior expressão gênica de PGC-1? e MCT1 para o G80, e redução de HIF-1? em músculo esquelético para os grupos treinados. Conclusão: Apesar de agudamente observarmos algumas respostas diferenciadas entre as intensidades, quando realizamos a exposição crônica dos animais ao exercício físico, as respostas ao treinamento foram muito similares entre os grupos. Estes resultados nos sugerem que a carga total de treinamento possui um papel preponderante nas adaptações quando comparado aos fatores isolados de volume e intensidade (AU)

Processo FAPESP: 14/10336-9 - Efeito de diferentes modelos de treinamento com cargas controladas sobre marcadores fisiológicos, expressões gênicas e conteúdos protéicos da HIF-1 alfa, PGC-1 alfa, MCT1 e MCT4: relações com o rendimento e atividade espontânea de ratos nadadores
Beneficiário:Fúlvia de Barros Manchado Gobatto
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Regular