Busca avançada
Ano de início
Entree


Avalia??o da rela??o entre marcadores inflamat?rios e padr?o de atrofia hipocampal e extra-hipocampal em pacientes com epilepsias de lobo temporal

Texto completo
Autor(es):
Marina Koutsodontis Machado Alvim
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ci?ncias M?dicas
Data de defesa:
Resumo

Introdu??o: A epilepsia atinge 1 a 2 % da popula??o mundial, sendo a epilepsia de lobo temporal associada a esclerose hipocampal (ELT-EH) a forma mais frequente em adultos. Estudos de imagem j? determinaram que a ELT-EH apresenta redu??o volum?trica cerebral difusa, n?o sendo restrita ? regi?o do hipocampo. H? evid?ncias de que a inflama??o tem um importante papel na neuroexcitabilidade e que altera??es na regula??o inflamat?ria podem gerar degenera??o neuronal e induzir crises convulsivas Objetivos: Definir a associa??o de marcadores inflamat?rios s?ricos e epilepsias, al?m de caracter?sticas cl?nicas, de EEG e padr?es de altera??o de neuroimagem em pacientes com ELT. Materias e M?todos: Foram inclu?dos no estudo 490 pacientes com diagn?stico cl?nico e eletroencefalogr?fico de epilepsia e um grupo de 166 controles sem doen?as neurol?gicas. Os pacientes foram divididos entre os com ELT (246) e pacientes com outras epilepsias. Os indiv?duos foram submetidos a coleta de sangue para a avalia??o dos marcadores inflamat?rios e 86 desses realizaram resson?ncia magn?tica (RM) de cr?nio. O volume de estruturas subcorticais e espessura de regi?es corticais foram analisadas pelo programa FreeSurfer. Os marcadores inflamat?rios (IL-1, IL-2, IL-4, IL-6, IL-10, IL-17, TNF? e seus receptores sTNFr1 e sTNFr2, BDNF, CTNF, IFN?, NGF, GDNF) foram analisados de maneira cega aos dados cl?nicos pelas t?cnicas Enzyme-Linked Immunosorbent Assay (ELISA) e Cytometric Bead Array (CBA). Resultados: Os fatores inflamat?rios n?o est?o correlacionados com a idade e g?nero dos indiv?duos e nem com o tempo de doen?a dos pacientes (r>0,3; p>0,05). Os n?veis s?ricos de BDNF, NGF, sTNFr2 e a NT3 foram elevados enquanto que os n?veis de TNF, sTNFr1, IFN? e das interleucinas foram reduzidos quando avaliamos os pacientes, em geral ou os grupos ELT e outras epilepsias em rela??o aos controles. Mesmo padr?o foi observado quando avaliados apenas os pacientes com malforma??o do desenvolvimento cortical, exceto o sTNR1 e IL10 que n?o foram significativos nessa ?ltima an?lise. O CNTF, NT4/5 e GDNF n?o foram diferentes entre pacientes e controles. O sTNFr2 se demonstrou um bom marcador para diferenciar pacientes e controles (curva ROC com AUC de 0,858). Analisando apenas os pacientes com ELT, O GDNF foi maior nos pacientes com pouca atividade epileptiforme ao EEG. O IL2 e o IL4 foram elevados nos pacientes com maior frequ?ncia de crises. Em rela??o ? imagem, o TNF? s?rico apresentou correla??o inversa ao volume do t?lamo ipsilateral. Discuss?o: Nosso estudo ? um dos primeiros a avaliar uma extensa coorte de pacientes e realizar uma avalia??o explorat?ria sobre a rela??o de marcadores inflamat?rios, dados cl?nicos e de neuroimagem. Os marcadores inflamat?rios apresentam diferentes pap?is no sistema nervoso central e sua medi??o s?rica nos ajuda a compreender melhor o papel desses nas epilepsias. Conclus?o: Os marcadores inflamat?rios est?o claramente envolvidos na epilepsia e na perda neuronal, por?m s?o necess?rios estudos espec?ficos para compreender se estes s?o epifen?menos ou consequ?ncias das crises (AU)

Processo FAPESP: 15/17066-0 - Avaliação da relação entre marcadores inflamatórios e padrão de atrofia hipocampal e extra-hipocampal em pacientes com epilepsia de lobo temporal
Beneficiário:Marina Koutsodontis Machado Alvim
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado Direto