Busca avançada
Ano de início
Entree


Efeito da expansão do volume estracelular (EVEC) sobre a secreção de prolactina: modulação pelo eixo hipotálamo-hipófise-adrenal

Autor(es):
Durlo, Flavia Vendramini
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Campinas. [2004]. 138 f., gráficos, ilustrações, tabelas.
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Faculdade de Ciências Médicas
Data de defesa:
Orientador: Castro, Margaret de; Rodrigues, José Antunes
Área do conhecimento: Ciências Biológicas - Fisiologia
Indexada em: Base Acervus-UNICAMP
Localização: Universidade Estadual de Campinas. Biblioteca Central Cesar Lattes; T/UNICAMP; D935e; Universidade Estadual de Campinas. Biblioteca da Faculdade de Ciências Médicas; T/UNICAMP; D935e
Resumo

A prolactina (PRL) é um hormônio polipeptídico e sua regulação é influenciada por um grande número de fatores que estimulam ou inibem a sua secreção. Em mamíferos, o controle exercido pelo hipotálamo sobre a secreção de PRL pela hipófise é predominantemente inibitório tendo como principal regulador a dopamina. Dentre as ações da PRL incluem a secreção de leite, regulação da reprodução e um possível função no balanço de água e eletrólitos. Os efeitos da PRL sobre o equilíbrio hidroeletrolítico podem ser parcialmente mediados pela liberação de corticosterona (B), vasopressina (AVP), ou ainda serem dependentes de outros hormônios, como a ocitocina (OT) e o peptídeo natriurético atrial (ANP). O objetivo deste estudo foi avaliar dos efeitos da expansão de volume extracelular (EVEC), por meio da injeção endovenosa de solução salina isotônica(I) ou hipertônica (H) sobre a secreção de PRL, B, ANP e OT, em ratos. Avaliar, ainda, os efeitos de diferentes concentrações plasmáticas de PRL sobre a secreção de B, ANP e OT, induziadas pela EVEC I ou H, e a modulação destas respostas pelo eixo HHA. Foram utilizados ratos machos que, após ambientação, foram submetidos a diferentes manipulações experimentais: grupo controle, animais que não receberam nenhum tratamento; grupo tratado com bromocriptina; grupo tratado com sulpirida e grupo tratado com dexametasona. Após EVEC I, no grupo controle, houve um aumento significativo das concentrações plasmáticas de PRL, B, ANP e OT, o mesmo ocorrendo com EVEC H, porém com valores mais elevados de ANP e OT após EVEC H. Não houve modificações das respostas do ANP e OT após EVEC I e H nos grupos tratados com bromocriptina e sulpirida. As elevações de PRL e OT foram bloqueadas no grupo tratado com dexametasona, sendo que este tratamento não alterou a secreção ANP induzida pela EVEC I e H. Em conjunto, os resultados obtidos indicam que a EVEC induzida pela injeção de salina isotônica ou hiportônica provocou elevações nas concentrações plasmáticas de PRL, B, ANP e OT. A elevação do ANP e OT frente ao estímulo da EVEC I e H foram bloqueadas pela inibição do eixo hipótalamo-hipófise-adrenal. Entretanto, o tratamento com dexametasona não modificou o aumento da secreção... (AU)

Processo FAPESP: 00/00066-1 - Efeito da expansão do volume extracelular sobre a secreção de prolactina e a modulação pelo eixo hipotálamo-hipófise-adrenal
Beneficiário:Flavia Vendramini Durlo
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado