Busca avançada
Ano de início
Entree


Estudo molecular da hiperplasia adrenal congênita por deficiência da enzima 21-hidroxilase correlação genótipo-fenótipo

Autor(es):
Torres, Natália
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Campinas. [2002]. 147 f., gráficos, ilustrações.
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Faculdade de Ciências Médicas
Data de defesa:
Membros da banca:
Castro, Margaret de; Elias, Lucila Leico K.; Sonati, Maria de Fátima
Orientador: Castro, Margaret de; Mello, Maricilda Palandi
Área do conhecimento: Ciências Biológicas - Genética
Indexada em: Base Acervus-UNICAMP; Biblioteca Digital da UNICAMP
Localização: Universidade Estadual de Campinas. Biblioteca Central Cesar Lattes; T/UNICAMP; T636e; Universidade Estadual de Campinas. Biblioteca da Faculdade de Ciências Médicas; T/UNICAMP; T636e
Resumo

A hiperplasia adrenal congênita (HAC) constitui um grupo de doenças hereditárias decorrentes da deficiência de uma das enzimas necessárias para a esteroidogênese adrenal. A forma mais comum de HAC é decorrente da deficiência da 21-hidroxilase (21-OH), correspondendo a 90-95% de todos os casos, cuja herança é autossômica recessiva. Mutações no gene CYP21 são responsáveis pelas diferentes formas da doença. O gene CYP21 codifica a enzima 21-OH e se alternam em tanden com o pseudogene CYP21P, ambos apresentando 98% de homologia, favorecendo o emparelhamento desigual dos cromossomos durante a meiose, levando ao aparecimento de duplicações, deleções ou conversões destes genes. Estudos de mutagênes e in vitro permitiram quantificar a atividade enzimática de cada mutação e sua correlação com as diferentes formas clínicas da doença. O objetivo deste estudo foi delinear o perfil do complexo gênico 21-OH em famílias com pelo menos um membro portador de HAC por deficiência da 21-OH, determinar as freqüências de haplótipos com mutações de ponto no gene CYP21 e estabelecer uma correlação entre genótipo e fenótipo dos indivíduos afetados. Foram estudadas 50 famílias não correlacionadas, sendo 20 indivíduos portadores da forma clássica perdedora de sal (PS), 17 da forma clássica virilizante simples (VS) e 13 da forma não clássica (NC) de deficiência de 21-OH. Utilizamos DNA genômico para amplificação do gene CYP21 por PCR alelo-específico. Mutações foram identificadas em 93 alelos, sendo mais freqüentemente encontrada a mutação I172N (20,4%), seguida da V281L (18,2%), IVS2, A/C>G,-12 (Sp2) (14,0%) e R356W (6,5%), Q318X (1,1%), P30L (1,1%) e 706_713del8 (D8) (1,1%). Os genótipos foram divididos em grupos A, B e C, em ordem crescente da atividade enzimática, e foram comparados com as formas clínicas de HAC: PS, VS e NC, respectivamente. Em nossa amostragem, houve, ainda, uma forte correlação do genótipo com o fenótipo (100% para o C grupo, 100% para o B e 88,8% para o A). A freqüência de microconversões encontrada neste estudo foi semelhante à observada na população mundial e brasileira. (AU)

Processo FAPESP: 00/00067-8 - Estudo molecular da hiperplasia adrenal congênita por deficiência da 21-hidroxilase: correlação genótipo-fenótipo
Beneficiário:Natália Torres
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado