Busca avançada
Ano de início
Entree


Estrutura atômica e eletrônica em niquelatos (TRNiO3) através de espectroscopia de níveis profundos

Autor(es):
Piamonteze, Cinthia
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: Campinas. [2004]. 162 f., gráficos, ilustrações, tabelas.
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Física Gleb Wataghin
Data de defesa:
Membros da banca:
Tolentino, Helio Cesar Nogueira; Tessler, Leandro R; Landers, Richard; Abbate, Miguel; Jardim, Renato de Figueiredo
Orientador: Tolentino, Helio Cesar Nogueira
Área do conhecimento: Ciências Exatas e da Terra - Física
Indexada em: Base Acervus-UNICAMP; Biblioteca Digital da UNICAMP
Localização: Universidade Estadual de Campinas. Biblioteca Central Cesar Lattes; P572e; Universidade Estadual de Campinas. Biblioteca do Instituto de Física Gleb Wataghin; P572e
Resumo

Neste trabalho de tese estudamos a estrutura atômica e eletrônica de sistemas de perovskitas de Ni com terras-raras (TRNiO3) utilizando a espectroscopia de absorção de níveis profundos. A fonte de luz síncrotron foi explorada na região de raios X moles para o estudo das bordas LIII e LII do Ni, e na região de raios X duros para o estudo da borda K do Ni e LIII dos terras raras. A propriedade mais notável nesses sistemas é a ocorrência de uma transição metal-isolante ao variarmos a temperatura da amostra. Essa temperatura de transição depende do íon terra-rara, e aumenta ao reduzirmos o tamanho do mesmo. Esses sistemas possuem uma estrutura perovskita distorcida, onde os octaedros NiO6 giram para preencher o espaço em torno do íon terra-rara. Quanto menor o íon, maior a distorção. Observamos assim uma estreita correlação entre a distorção da rede e a transição metal-isolante. Para sistemas com TR variando desde Pr ao Gd foi encontrada uma estrutura cristalográfica de simetria ortorômbica, onde o Ni ocupa um sítio simétrico. Baseado nisto, um primeiro modelo proposto sugeria que a transição seria devido ao estreitamento da banda formada pelos orbitais hibridizados Ni-3d e O-2p, quando o ângulo Ni-O-Ni diminui. No entanto, modificações na temperatura de transição metal-isolante pela substituição isotópica do O mostraram que o acoplamento elétron-fônon deveria ser importante. De fato, para sistemas com íons TR menores (de Ho a Lu) foi encontrada uma distorção monoclínica na fase isolante desses sistemas. Em tal estrutura o Ni ocupa sítios distintos com distâncias Ni-O diferentes...(AU)

Processo FAPESP: 00/00789-3 - Propriedades estruturais, magnéticas e eletrônicas de perovskitas de níquel e vanádio através de espectroscopia de absorção de raios X
Beneficiário:Cínthia Piamonteze
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado