Busca avançada
Ano de início
Entree


Prevalência de sobrepeso e obesidade em nipo-brasileiros e a utilização de variáveis antropométricas como preditoras de doenças crônicas

Autor(es):
Simony, Rosana Farah
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Paulo. [2003]. 84 f., gráficos, tabelas.
Instituição: Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Escola Paulista de Medicina
Data de defesa:
Orientador: Franco, Laércio Joel; Gimeno, Suely Godoy Agostinho
Área do conhecimento: Ciências da Saúde - Nutrição
Indexada em: Base de Dados PHL-UNIFESP
Localização: Universidade Federal de São Paulo. Biblioteca Central da Escola Paulista de Medicina; Tese 7898
Resumo

As elevadas prevalências de sobrepeso, obesidade geral e abdominal em indivíduos da segunda geração, de ambos os sexos, sugerem o importante papel da "ocidentalização" na gênese destas "doenças", sendo que houve um aumento importante na segunda fase do estudo, porém esse não foi significativo em todas as faixas etárias. Os valores das variáveis antropométricas, considerados indicativos de excesso de peso e de maior risco para as doenças de interesse, foram aqueles relativos ao percentil 50, sendo respectivamente para: - Hipertensão arterial IMC=24,1 Kg/m2 (ambos os sexos) RCQ=0,90 para o sexo masculino e =0,83 para o sexo feminino CC=86,5 cm para o sexo masculino e =78 cm para o sexo feminino - Diabetes mellitus IMC= 24,6 Kg/m2 (ambos os sexos) RCQ=0,91 para o sexo masculino e =0,83 para o sexo feminino CC=88 cm para o sexo masculino e = 79 cm para o sexo feminino - Dislipidemia IMC=24,6 Kg/m2 (ambos os sexos) RCQ=0,91 para o sexo masculino e =0,83 para o sexo feminino CC=88 cm para o sexo masculino e =78,8 cm para o sexo feminino Assim, concluímos que os valores encontrados de índice de massa corporal, razão cintura-quadril e circunferência da cintura são próximos aos recomendados pela Organização Mundial da Saúde (1998) e diferentes daqueles sugeridos na literatura para a população japonesa e asiática (IMC de 26,4 Kg/m2 e 23,0 Kg/m2, respectivamente), sendo portanto aplicável a este grupo populacional, como preditores da morbidade por doenças crônicas. (AU)

Processo FAPESP: 00/01162-4 - A utilizacao do indice de massa corporal e da relacao cintura/quadril como preditores de morbidade para a populacao nipo-brasileira.
Beneficiário:Rosana Farah Simony
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado