Busca avançada
Ano de início
Entree


Sobre a formação e evolução de barras estelares em galáxias

Autor(es):
Gadotti, Dimitri Alexei
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Paulo. [2003]. xx,351 f., gráficos, ilustrações, tabelas.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas
Data de defesa:
Orientador: Souza, Ronaldo Eustáquio de
Área do conhecimento: Ciências Exatas e da Terra - Astronomia
Indexada em: Banco de Dados Bibliográficos da USP-DEDALUS
Localização: Universidade de São Paulo. Biblioteca do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas; IAG/AGA 305; Universidade de São Paulo. Biblioteca do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas; IAG/CD-ROM 457
Resumo

Nós realizamos um estudo detalhado acerca das propriedades estruturais e cinemáticas de galáxias barradas lenticulares e espirais de tipos morfológicos recentes e tardios, com o objetivo de explorar os processos de formação e evolução de barras estelares em galáxias, e as implicações destes processos para a formação e evolução global desta classe de galáxias. Utilizando espectros de alta razão sinal/ruído, obtidos ao longo dos eixos maior e menor das barras em uma amostra de 14 galáxias, determinamos a distribuição de velocidades estelares ao longo do eixo vertical das barras, em diversos pontos, que distam até cerca de 20" do centro, através de um algoritmo desenvolvido com esta finalidade. Com estes dados, foi possível desenvolver um diagnóstico que permite estimar a idade das barras e distinguir barras recém-formadas de barras evoluídas. Além disso, podemos avaliar a estrutura vertical de discos e barras em galáxias. Através de simulações N-corpos realísticas, estudamos as condições necessárias para a formação de barras em galáxias, bem como a escala de tempo envolvida nos processos que levam as barras a ganhar uma importante estrutura vertical. Finalmente, utilizando imagens obtidas em B,V,R,I, e Ks para uma amostra de 19 galáxias, e imagens obtidas em R para uma amostra de 51 galáxias, que inclui galáxias elípticas, realizamos uma análise estrutural detalhada em galáxias que cobrem toda a sequência morfológica de Hubble, determinando parâmetros estruturais que descrevem o bojo e o disco destas galáxias, bem como obtendo imagens residuais que revelam sub-estruturas importantes. A realização desta análise exigiu o desenvolvimento de um algoritmo específico, e deu origem a um atlas de análise estrutural em galáxias. Dentre os principais resultados obtidos, destacamos: (i) existem barras verticalmente finas e espessas, e esta diferença se deve a uma diferença na idade das barras; (ii) o processo que leva ao espessamento da barra, conforme determinamos, é lento (5-10 Gano); (iii) o cenário vigente de formação de barras não é capaz de explicar de forma natural a existência de barras em galáxias cinematicamente quentes e com bojos proeminentes... (AU)

Processo FAPESP: 99/07492-7 - Um estudo acerca da estrutura vertical de barras em galáxias
Beneficiário:Dimitri Alexei Gadotti
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado