Busca avançada
Ano de início
Entree


Efeitos da uréia na síntese de cerâmica PZT pelo processo sol-gel

Texto completo
Autor(es):
Abreu Júnior, Antonio
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: São José dos Campos. [2002]. 52 f., gráficos, ilustrações.
Instituição: Brasil. Ministério da Defesa. Comando-Geral de Tecnologia Aeroespacial (CTA). Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA)
Data de defesa:
Membros da banca:
Thim, Gilmar Patrocínio; Moura Neto, Carlos de; Oliveira, Maria Auxiliadora Silva de; Iha, Koshun; Melo, Francisco Cristovão Lourenço de; Barelli, Nilso
Orientador: Thim, Gilmar Patrocínio; Oliveira, Maria Auxiliadora Silva de
Área do conhecimento: Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica
Indexada em: Base Digital de Teses - ITA
Localização: Instituto Tecnológico de Aeronáutica. Biblioteca Central; T66.09(043); A162e
Resumo

Neste trabalho, é estudado o efeito da uréia na síntese de PZT pelo processo sol-gel utilizando três diferentes métodos. No primeiro método, chamado Método Citrato, é estudado o efeito da uréia adicionada durante o passo de gelificação de uma solução contendo TiCl4, Pb(NO3)2, ZrOCl2.8H2O e ácido cítrico como agente quelante. A quantidade de uréia adicionada na solução precursora é aumentada e o gel obtido é caracterizado por Análise Termogravimétrica (TG). Os xerogéis são calcinados a 800 ºC por 2 e 3 horas. Emprega-se a técnica de difração de raios X (DRX) para caracterizar as fases cristalinas das amostras calcinadas. Independente da concentração de uréia, todas as amostras calcinadas a 800 ºC por 2 horas apresentam mais de uma fase. No entanto, amostras contendo uma maior quantidade de uréia (razão molar de PZT:Uréia igual a 1:3 (PZT-U3)), calcinada a 800 ºC por 3 horas apresenta somente a fase PZT. A área superficial do pó PZT-U3 calcinado é determinada pelo método BET e a morfologia da partícula por Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV). A área superficial deste pó é de 3,8 m2 g-1, forma esférica e diâmetro das partículas são de 0,20 mm. No segundo e terceiro métodos, isopropóxido de titânio, complexo isopropóxido-isopropanol de zircônio, acetato de chumbo, ácido cítrico e etilenoglicol são utilizados como precursores. No entanto, o segundo método, chamado Método Pechini Convencional, na solução precursora (identificada por PZT-NH4OH) o pH é ajustado para 6,5 pela adição de hidróxido de amônio, enquanto no terceiro método, chamado Método Pechini Modificado, a solução precursora (identificada por PZT-Uréia) o pH é ajustado pela decomposição homogênea da uréia. Os géis originados das soluções precursoras de PZT-NH4OH e PZT-Urea são caracterizados por TG, Espectroscopia de Infravermelho com Transformada de Fourier (FTIR)... (AU)

Processo FAPESP: 00/02384-0 - Propriedades elétricas de PZT preparado através de um método citrato modificado
Beneficiário:Antonio Abreu Júnior
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado