Busca avançada
Ano de início
Entree


Uso sustentável da biodiversidade brasileira: prospecção químico-farmacológica em plantas superiores - Neea theifera Oersted (Nyctaginaceae)

Texto completo
Autor(es):
Rinaldo, Daniel
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Araraquara. [2007]. 84 f., ilustrações.
Instituição: Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Instituto de Química
Data de defesa:
Membros da banca:
Vilegas, Wagner; Castro-Gamboa, Ian; Fonseca, Sebastião Ferreira
Orientador: Vilegas, Wagner; Santos, Lourdes Campaner dos
Área do conhecimento: Ciências Exatas e da Terra - Química
Indexada em: Banco de Dados Bibliográficos Athena; C@thedra - Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UNESP
Localização: Universidade Estadual Paulista. Campus de Araraquara. Biblioteca do Instituto de Química; T-1052
Resumo

Este trabalho aborda a investigação de Neea theifera Oerst. (Nyctaginaceae), uma planta brasileira conhecida popularmente como o Capa-rosa-do-campo. Esta espécie é usada na medicina popular contra doenças gástricas e diarréias. As folhas foram coletadas e extraídas sequencialmente com clorofórmio e metanol. O extrato metanólico foi fracionado por cromatografia líquida de média pressão em fase reversa, seguido de cromatografia de permeação em gel (Sephadex LH-20), e foi possível isolar os flavonóides vitexina, isovitexina, orientina, isoorientina, vicenina-2, crisoeriol, apigenina, luteolina e luteolina-7-O-[2’’-O-(5’’’-O-feruloil)-D-apiofuranosil]- ß-D-glicopiranosídeo, identificados por técnicas espectrométricas (RMN, UV, IV, MS). Os flavonóides presentes no extrato metanólico foram quantificados por HPLC-DAD, apresentando um teor de 5,6% no extrato metanólico e 0,85% nas folhas. Os ensaios farmacológicos in-vivo mostraram que os extratos não foram capazes de inibir as úlceras induzidas por HCl/etanol. Por outro lado, eles não apresentaram efeitos mutagênicos. Ambos os extratos apresentaram atividade antimicrobiana. O extrato clorofórmico revelou promissora atividade contra Mycobacterium tuberculosis (62,5 æm mL-1) e o extrato metanólico contra Staphylococcus aureus (50 æm mL-1). O extrato metanólico também apresentou atividade imunomodulatória. Portanto, os resultados obtidos mostraram-se importantes, pois eles sugerem que o uso popular de N. theifera como agente anti-úlcera pode não estar correto. Por outro lado, esta espécie demosntrou ser uma fonte promissora de metabólitos secundários com atividade antimicrobiana e imunomodulatória. (AU)

Processo FAPESP: 04/10736-5 - Uso Sustentável da Biodiversidade Brasileira: prospecção químico-farmacológica em plantas superiores: Neea spp. (Nyctaginaceae)
Beneficiário:Daniel Rinaldo
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado