Busca avançada
Ano de início
Entree


Hipersexualidade induzida por privação de sono paradoxal: caracterização e avaliação experimental de alguns mecanismos envolvidos em sua etiologia no rato

Autor(es):
Andersen, Monica Levy
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Paulo. [2004]. 508 f.
Instituição: Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Escola Paulista de Medicina
Data de defesa:
Membros da banca:
Tufik, Sergio; Carlini, Elisaldo Luiz de Araújo; Guimarães, Jorge Almeida; Hoshino, Katsumasa; Bernardi, Maria Marta
Orientador: Tufik, Sergio
Área do conhecimento: Ciências Biológicas - Farmacologia
Indexada em: Base de Dados PHL-UNIFESP
Localização: Universidade Federal de São Paulo. Escola Paulista de Medicina. Biblioteca Central Prof. Dr. Antonio Rubino de Azevedo; Tese 8928
Resumo

O abuso de drogas é um distúrbio crescente da sociedade moderna e intimamente relacionado à busca por um aumento do prazer e do desempenho sexual. No entanto, a associação desses dois fatores tem sido pouco estudada. A privação de sono resultante do atual estilo de vida extremamente agitado, dos longos turnos de trabalho e do estresse psicológico pode apresentar, embora ainda desconhecidas, repercussões na saúde e no bem-estar. Além constelação das conseqüências comportamentais e neurofarmacológicas documentadas da privação de sono paradoxal (PSP), o comportamento se permanece como uma área bem pouco explorada. Assim, o objetivo deste estudo foi investigar os efeitos da PSP associada a diversas substâncias psicotrópica na indução de reflexos genitais (ereção e ejaculação) em ratos sob diferentes aspectos. Primeiramente, os animais foram privados de sono paradoxal por 96 horas e em seguida administrados com salina ou cocaína. Os resultados revelaram que o grupo PSP que recebeu cocaína foi o que produziu a maior porcentagem de animais apresentando ereção e ejaculação (100 por cento e 60 por cento, respectivamente) e diferiu estatisticamente dos grupos controle de gaiola que receberam salina ou cocaína. A proporção de animais do grupo PSP que receberam salina foi de 50 por cento de ereção e 20 por cento de ejaculação e somente a administração de cocaína induziu 10 por cento de ereção e 10 por cento de ejaculação. Assim, os demais estudos foram realizados na tentativa de compreender os mecanismos envolvidos nesses comportamentos. Nesse sentido, verificamos que a resposta máxima de freqüência de reflexos genitais induzidos por cocaína ocorre na 96a. hora de PSP e que não há evidência consistente de variação circadiana diurna na resposta erétil em ratos PSP, embora o reflexo ejaculatório tenha sido significativamente reduzido no final do período escuro no grupo PSP+cocaína... (AU)

Processo FAPESP: 01/04329-0 - Sono e cocaína
Beneficiário:Monica Levy Andersen
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado