Busca avançada
Ano de início
Entree


Estudo do gene AHSP ( Alpha Haemoglobin Stabilizing Protein) em celulas eritropoeticas

Autor(es):
Aida Gomes de Freitas
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Faculdade de Ciências Médicas
Data de defesa:
Orientador: Fernando Ferreira Costa
Resumo

As síndromes talassêmicas constituem um grupo heterogêneo de doenças genéticas causadas por mutações que afetam a síntese de uma ou mais cadeias globínicas, designadas de acordo com o tipo de cadeia cuja síntese está prejudicada. Nas f3-talassemiasocorre supressão parcial ou total das cadeias f3,o que provoca o excesso de subunidades livres de a-globinas instáveis, insolúveis e formam agregados chamados corpos de inclusão, responsáveis pela destruição de precursores eritróides. Os homozigotos para a f3-talassemia que apresentam anemia grave, necessitam de transfusões sangüíneas regulares, o que produz acúmulo de ferro no organismo, afetando principalmente o fígado, o coração e as glândulas endócrinas. Recentemente foi descrito o gene AHSP (Alpha Haemoglobin Stabilizing Protein) que pode ter participação na síntese de hemogiobina. A proteína produzida por este gene forma um complexo estável quando ligado a a-globinas livres, funcionando como uma chaperona molecular evitando a precipitação das cadeias nas células. O papel desta proteína nas síndromes talassêmicas ainda não está esclarecido, embora haja evidências de que ela possa desempenhar função importante quando existe excesso de cadeias a como nas f3-talassemias. Com base nesses dados, propomos o estudo do efeito da supressão da expressão do gene AHSP em células da linhagem eritroleucêmica humana K562 (ATCC), através do silenciamento gênico por interferência de RNA e em culturas de células mononucleares do sangue periférico de indivíduo portador da mutação no códon 75 do gene AHSP, para análise durante a diferenciação celular. As células mononucleares do indivíduo mutante e do controle foram obtidas a partir do sangue de doadores voluntários no ambulatório do Hemocentro da UNICAMP e foram submetidas a um sistema de cultura de células em duas fases. Através dos resultados obtidos foi possível observar que não houve a interferência esperada do gene AHSP nas condições testadas. Os resultados obtidos também demonstraram expressão diferencial no gene AHSP na presença da mutação no códon 75 que talvez esteja relacionada com a evolução clínica na ~-talassemia. Estes dados sugerem uma importante função do gene AHSP durante a diferenciação eritróide (AU)

Processo FAPESP: 03/05363-2 - Silenciamento do gene da alpha haemoglobin stabilizing protein (AHSP) em células eritropoéticas
Beneficiário:Aida Gomes de Freitas
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado