Busca avançada
Ano de início
Entree


Telicidade e detelicização: semântica e pragmática do domínio tempo-aspectual

Autor(es):
Basso, Renato Miguel
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Campinas. [2007]. 288 f., ilustrações.
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Estudos da Linguagem
Data de defesa:
Membros da banca:
Ilari, Rodolfo; Françozo, Edson; Scmitz, John Robert
Orientador: Ilari, Rodolfo
Área do conhecimento: Linguística, Letras e Artes - Linguística
Indexada em: Base Acervus-UNICAMP; Biblioteca Digital da UNICAMP
Localização: Universidade Estadual de Campinas. Biblioteca Central Cesar Lattes; T/UNICAMP; B295t; Universidade Estadual de Campinas. Biblioteca do Instituto de Estudos da Linguagem; T/UNICAMP; B295t
Resumo

O presente trabalho é uma investigação do fenômeno da detelicização, representado por sentenças como João leu o livro por 1 semana, na qual temos um evento télico (i.e., que tem um ponto final não arbitrário) seguido por um adjunto do tipo por X tempo, que, segundo a literatura, é incompatível com eventos télicos. Dado essa alegada incompatibilidade, várias das teorias que tratam da detelicização a abordam como um caso de coerção ou type-mismatch para dar conta do fato de que os falantes aceitam esse tipo sentença. Para proceder a tal investigação, inicialmente apresentamos o quadro teórico que adotamos, segundo o qual os fenômenos tempo-aspectuais devem ser tratados levando-se em conta a separação e interação de seus sub-domínios: (i) referência temporal, que responde pela localização de eventos numa suposta seta do tempo, e é, portanto, o componente dêitico; (ii) aspecto, que é a representação, feita subjetivamente pelo falante, de um evento como concluso ou inconcluso; e (iii) acionalidade, sub-domínio que diz respeito ao tipo de evento em questão. O objetivo do segundo capítulo é entender melhor o conceito de telicidade e como ele é apreendido pelas teorias tempo-aspectuais contemporâneas. Esse passo é imprescindível, pois somente eventos télicos podem passar pelo processo de detelicização. No terceiro capítulo apresentamos em detalhe a detelicização, definida como a apresentação de um evento interrompido, ou seja, um evento télico que se inicia e pára sem, no entanto, alcançar seu ponto final, seu telas. Depois de caracterizar esse fenômeno, esboçamos uma teoria semântico-pragmática que visa a capturá-la, assim como esmiuçar o que é propriamente semântico e o que é pragmático no estudo dos fenômenos tempo-aspectuais... (AU)

Processo FAPESP: 04/12571-3 - Telicidade e detelicizacao.
Beneficiário:Renato Miguel Basso
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado