Busca avançada
Ano de início
Entree


Espectroscopia de fluorescência para detecção de lesões potencialmente malignas e carcinoma epidermóide da cavidade oral : estudo prospectivo

Autor(es):
Ana Lucia Noronha Francisco
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Faculdade de Odontologia de Piracicaba
Data de defesa:
Membros da banca:
Cristina Kurachi; Márcio Ajudarte Lopes
Orientador: Luiz Paulo Kowalski
Resumo

O câncer da boca é um problema de saúde pública, com grande incidência na população brasileira. O paciente afetado geralmente apresenta-se para o tratamento com a doença em estádios avançados, com conseqüente diminuição das taxas de sobrevida. Diante disso, torna-se imprescindível a detecção do câncer de boca em estádios precoces. A espectroscopia de fluorescência é uma ferramenta diagnóstica não invasiva que pode auxiliar na detecção do câncer em tempo real, com o potencial de fornecer sensibilidade e especificidade semelhantes ao diagnóstico clínico de profissionais experientes. É uma técnica relativamente simples, rápida e acurada que consiste em avaliar a composição bioquímica e a estrutura do tecido pelo espectro de fluorescência emitido por ele, após aplicação de uma fonte de luz. Quando há progressão de um estado normal para um estado alterado, isso é refletido nas características espectrais da fluorescência dos tecidos, podendo ser correlacionada com o exame histopatológico destes tecidos. O objetivo do presente estudo consistiu em discriminar, na mucosa bucal, tecido sadio de neoplásico, por meio de espectroscopia de fluorescência. As avaliações ocorreram nos pacientes do Departamento de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e Otorrinolaringologia do Hospital A. C. Camargo e do Laboratório Especial de Laser em Odontologia da USP, São Paulo, Brasil. O estudo obteve aprovação dos Comitês de Ética em Pesquisa das instituições participantes. A amostra consistiu de 150 indivíduos nos quais se realizou a espectroscopia de fluorescência dos quais 55 pacientes eram portadores de carcinoma oral, 30 voluntários com mucosa oral clinicamente normal, 35 pacientes sem lesão oral, com história prévia de neoplasia, que foram submetidos à cirurgia ou à cirurgia e radioterapia, e 30 pacientes com lesão clinicamente detectável e potencialmente maligna. 81 casos (54%) do sexo masculino e a média de idade foi de 62,7 anos. Em relação aos fatores de risco, 76 (50,6%) eram fumantes e 31(20,7%) etilistas. Foram realizadas biópsias e os resultados destas duas metodologias foram comparados, usando o diagnóstico histopatológico como padrão ouro, para identificar características espectrais de cada tipo de lesão. Os espectros foram classificados e comparados com a histopatologia para determinação da eficiência na discriminação diagnóstica empregando-se a fluorescência. A análise consistiu de diversos tipos de processamentos matemáticos dos espectros, sendo as acurácias Bayes 0.513 e 0.618 e J48 0.829 e 0.887 nos comprimentos 532 e 406nm, respectivamente. Observou-se a variabilidade entre as doenças, entre os sítios anatômicos, entre os indivíduos e entre regiões da mesma lesão. Os valores de especificidade e sensibilidade da técnica variam em função do tipo de análise empregada, como na excitação em 406 nm o algoritmo J48+CFS mostrou valores de sensibilidade igual a 88,5% e de especificidade igual a 93,8%, podendo em alguns casos, pode-se constatar o seu potencial de uso como instrumento auxiliar do diagnóstico do câncer de boca. (AU)

Processo FAPESP: 09/12938-8 - Espectroscopia de fluorescência para detecção de neoplasia bucal
Beneficiário:Ana Lucia Noronha Francisco
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado