Busca avançada
Ano de início
Entree


Na floresta onde vivem mansos e brabos : economia simbolica de acesso a natureza praticada na Reserva Extrativista do Alto Jurua - ACRE

Autor(es):
Carla de Jesus Dias
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas
Data de defesa:
Membros da banca:
Nadia Farage; Eduardo Batalha Viveiros de Castro
Orientador: Mauro William Barbosa de Almeida
Resumo

Essa pesquisa tem como principal objetivo compreender como se dá a relação entre humanos e não-humanos-- especialmenteanimais -- na Reserva Extrativista do Alto Juruá. Trata-se de um estudo empírico qualitativo acerca da atividade cinegética praticada pela população que reside esta Reserva. Para isso utilizou-se fontes bibliográficas, material etnográfico e cadernos de monitoramento escritos pelos próprios moradores da região. A Reserva Extrativista do Alto Juruá localiza-se a oeste do estado do Acre, em território da amazônia brasileira; região que é considerada como um hot spot de biodiversidade. A alimentação básica dos moradores da Reserva é a farinha de macaxeira e a carne de peixe ou de caça. Caçar é uma atividade comum na rotina da maioria dos homens que habitam a região. O animal caçado geralmente é dividido entre os parentes e amigos que moram próximos à casa do caçador. Além dessa prática, outras características do processo de acesso à fauna silvestre indicam que o uso desse recurso florestal é feito de modo compartilhado entre os moradores, mas nem por isso harmonioso. Uma das conclusões desta pesquisa é que embora a caça seja uma atividade de pressão ambiental ela é matizada, disciplinada e principalmente pensada pela população da Reserva do Alto Juruá. Na regulação da atividade cinegética opera um paralelo interessante entre direito costumeiro, processos simbólicos e instituições de poder local e nacional. Aqui conhecimento ecológico e felicidade na mata não são apenas sistemas de representações, são formas de manejo em ação. Assim, este estudo contribui para o urgente diálogo entre a biologia da conservação e a antropologia (AU)

Processo FAPESP: 01/12498-6 - A relação entre homens e animais silvestres na reserva extrativista do Alto Juruá - Acre: uma relação pragmática ou um sistema de inter-relações mais complexo?
Beneficiário:Carla de Jesus Dias
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado