Busca avançada
Ano de início
Entree


Avaliação clinica e radiografica do tratamento de defeitos intra-osseos usando as proteinas derivadas da matriz do esmalte ou barreiras biodegradaveis

Autor(es):
Robert Carvalho da Silva
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Faculdade de Odontologia de Piracicaba
Data de defesa:
Membros da banca:
Jose Eduardo Cezar Sampaio; Daniela Bazan Palioto; Sergio de Toledo; Eduardo Hebling
Orientador: Enilson Antonio Sallum
Resumo

Este estudo avaliou o resultado clínico e radiográfico do tratamento de defeitos intra-ósseos bilaterais e similares, usando as proteínas derivadas da matriz do esmalte (EMD) ou regeneração tecidual guiada (RTG) com uso de barreira biodegradável. Foram selecionados 10 pacientes com 11 pares defeitos de 1 ou 2 paredes ósseas nas proximais de dentes superiores monorradiculares ou multirradiculares sem envolvimento de bifurcação. No exame inicial e 6 meses após, foram obtidos os parâmetros índice de Placa (IPl), índice de Sangramento à Sondagem (ISS), Nível da Margem Gengival (NMG), Profundidade de Sondagem (PS), e Nível Clínico de Inserção (NCI). Imagens digitais padronizadas foram obtidas nos mesmos tempos para a determinação do Nível do Defeito Ósseo (NDO), Nível da Crista Óssea Alveolar (NCOA), o componente intra-óseo (INTRA), e ângulo dos defeitos. As imagens digitalizadas foram interpretadas para avaliar o preenchimento ósseo dos defeitos e reabsorção da crista óssea alveolar. A subtração radiográfica determinou mudanças na densidade óptica (DO) na área dos defeitos. Os valores médios para todos os parâmetros foram analisados pelo teste t de Student. Não foram encontradas diferenças estatísticas entre os grupos em nenhum dos parâmetros no exame inicial (P > 0,05). Aos 6 meses, houve diferença estatística significativa para todos os parâmetros na comparação dentro de cada grupo, em ambos os grupos (P < 0,05). Na comparação entre os grupos, houve maior redução da profundidade de sondagem (4,58 ± 0,38 mm x 4,09 ± 0,42 mm) e recessão gengival (1,18 ± 0,61 mm x 0,91 ± 0,42 mm) no grupo RTG (P < 0,05). Entretanto não houve diferença estatística entre os grupos para o ganho de inserção clínica (EMD= 3,34 ± 0,71 mm e RTG= 3,49 ± 0,71 mm) (P > 0,05). Radiograficamente, houve maior preenchimento ósseo no grupo RTG (53,94 + 4,21%) em relação ao grupo EMD (48,72 + 7,02%) (P < 0,05). A densidade óptica melhorou em ambos os grupos (EMD= 3,55 + 1,05; RTG= 4,15 + 0,39), entretanto sem diferença estatística entre os grupos (P > 0,05). Estes resultados sugerem que ambas as técnicas foram efetivas no tratamento dos defeitos intra-ósseos, entretanto ocorreu maior preenchimento ósseo com a técnica da RTG (AU)

Processo FAPESP: 02/11465-0 - Avaliação do tratamento de defeitos intra-osseos utilizando proteínas da matriz do esmalte
Beneficiário:Robert Carvalho da Silva
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado