Busca avançada
Ano de início
Entree


Efeito do cemento dental na regeneração periodontal : um estudo histomorfometrico em cães

Autor(es):
Patricia Furtado Gonçalves
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Faculdade de Odontologia de Piracicaba
Data de defesa:
Membros da banca:
Antonio Wilson Sallum; Carlos Rossa Junior; Giuseppe Alexandre Romito; Sergio de Toledo
Orientador: Francisco Humberto Nociti Junior
Resumo

Tendo sido demonstrada a possibilidade de preservação do cemento como forma alternativa de tratamento da doença periodontal, o presente estudo teve como objetivo avaliar o efeito do cemento dental na regeneração periodontal. Foram utilizados nove cães, sem raça definida, que receberam ligaduras de fio de algodão nos terceiros pré-molares inferiores, bilateralmente, para produzir lesões de bifurcação classe III. Após o levantamento de retalhos mucoperiosteais, os defeitos foram aleatoriamente escolhidos para receber um dos seguintes tratamentos: (A) remoção do tecido de granulação e uma cuidadosa raspagem e alisamento radicular, utilizando curetas e brocas, objetivando a remoção dos depósitos duros e moles e do cemento radicular, e polimento radicular com taças de borracha e pasta profilática; (B) somente a remoção do tecido de granulação e polimento radicular com taças de borracha e pasta profilática, objetivando a preservação do cemento radicular. Em ambos os grupos, os defeitos foram tratados com o princípio da Regeneração Tecidual Guiada (membranas reabsorvíveis - RESOLUT XT®) e os retalhos foram posicionados coronariamente e suturados. Após quatro meses os animais foram sacrificados para uma análise histomorfométrica. No grupo B, houve uma maior extensão (3,59±1,67 e 6,20±2,26mm para os grupos A e B, respectivamente; p=0,004) e espessura (18,89±9,47 e 52,29±22,48µm para os grupos A e B, respectivamente; p=0,001) de novo cemento, uma maior extensão de novo osso (1,86±1,76 e 4,62±3,01mm para os grupos A e B, respectivamente; p=0,002), além de uma maior extensão de regeneração periodontal, quando comparado ao grupo A (p<0,05 ? Wilcoxon). Observou-se ainda, no grupo B, uma menor formação de tecido epitelial/conjuntivo sobre a superfície radicular (2,77±0,79 e 1,10±1,48mm para os grupos A e B, respectivamente; p=0,009), além de uma maior porcentagem de preenchimento da área do defeito (80,95±17,46 e 94,50±10,27 para os grupos A e B, respectivamente; p<0,05), com uma maior proporção de novo osso e uma menor proporção de tecido epitelial/conjuntivo (p<0,05). Dentro dos limites deste estudo, conclui-se que o cemento dental pode modular a regeneração periodontal (AU)

Processo FAPESP: 02/09245-1 - Avaliação da influência do cemento remanescente no processo de regeneração periodontal em lesões de furca grau III: um estudo histomorfométrico em cães
Beneficiário:Patricia Furtado Gonçalves
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado