Busca avançada
Ano de início
Entree


"As coisas como elas são" : moralidade politica e social em William Godwin (1790-1800)

Autor(es):
Orlando Marcondes Ferreira Neto
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas
Data de defesa:
Membros da banca:
Michael McDonald Hall; Modesto Florenzano
Orientador: Edgar Salvadori De Decca
Resumo

" 'As coisas como elas são'. Moralidade política e social em William Godwin (1790-1800)" é um estudo a respeito do filósofo, romancista e ideólogo político William Godwin (1756-1836). A trajetória política de Godwin na década de 1790 é abordada tendo como referência a crítica às posições tradicionais da historiografia a seu respeito. Enquanto esta se recusa a atribuir a Godwin um caráter propriamente político e representativo no dito "debate político" da década de 1790, este estudo procura compreender o conteúdo propriamente político de sua atuação social. Para isso, investiga como Godwin pensa a ordem políticosocial na Inglaterra da década de 1790, tendo como fontes fundamentais seu tratado filosófico Investigação acerca dajustiça política (1793) e seu romance As coisas como elas são, ou as aventuras de Caleb Williams (1794). No romance Caleb Williams, Godwin se dirige à crítica política da moralidade privada. Segundo ele, em decorrência da perpetuação de uma ordem política fundada nos valores morais aristocráticos, as relações entre os indivíduos são marcadas pela violência, pela tirania e pelo sofrimento. Esta crítica revela seu caráter propriamente político por ser dirigida às instituições monárquicas e aristocráticas que, para ele, condicionam os indivíduos a alimentar os valores e sentimentos que conduzem as sociabilidades privadas a assumirem um caráter conflituoso e violento. Com sua crítica à ordem monárquica e aristocrática, Godwin revela os des~jos de uma fração das classes médias inglesas interessadas em reformar a moralidade da. nação e de universalizar seus códigos de conduta. Godwin defende as idéias burguesas de virtude e capacidade individual, ao invés da hereditariedade e do sangue nobre cultivados pela aristocracia. Godwin desempenha o papel de ideólogo burguês, que opera a reelaboração e difusão de valores mais aptos à consolidação da ordem capitalista na Inglaterra (AU)

Processo FAPESP: 96/06632-1 - Representações da sociedade inglesa por William Godwin e seu círculo: cultura, política e literatura (1790-1800)
Beneficiário:Orlando Marcondes Ferreira Neto
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado