Busca avançada
Ano de início
Entree


Análise farmacoeconômica da farmácia clínica em pacientes HIV positivo = : Pharmacoeconomic analysis of clinical pharmacy in HIV-positive patients

Autor(es):
Renata Cavalcanti Carnevale
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Faculdade de Ciências Médicas
Data de defesa:
Membros da banca:
Patrícia de Carvalho Mastroianni; Célia Regina Garlipp
Orientador: Patrícia Moriel
Resumo

Estudos demonstram que a farmácia clínica pode trazer resultados clínicos positivos para pacientes HIV-positivo. Entretanto, poucos avaliam seu impacto econômico. O objetivo deste estudo é verificar o impacto econômico do acompanhamento farmacoterapêutico de pacientes HIV-positivo. Foi realizado um estudo prospectivo controlado com amostra sistemática por quota com controles emparelhados segundo características aleatórias, entre Janeiro de 2009 e Junho de 2012. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética da UNICAMP. Pacientes HIV-positivo do Hospital Dia do Hospital das Clínicas/ UNICAMP, de ambos os gêneros, idade entre 18 e 60 anos, não obesos, foram incluídos no estudo. Não foram incluídos pacientes sem condições de retorno para consulta, os que não aceitaram participar e grávidas. Os pacientes foram alocados para o grupo controle ou intervenção, e emparelhados de acordo com gênero e contagem de linfócitos T CD4+. Apenas o grupo intervenção foi submetido ao acompanhamento farmacoterapêutico, segundo o método próprio baseado no PWDT (Pharmacist Workgroup of Drug Therapy) por um ano. Os problemas farmacoterapêuticos (PFTs) iniciais e finais foram quantificados e classificados, assim como as intervenções farmacêuticas realizadas. Os desfechos de efetividade foram: contagem CD4+ > 200 células/ mm3; >350 células/ mm3; >500 células/ mm3; carga viral < 50 cópias/ mL e ausência de coinfecções, em seis meses e um ano. Foram considerados os custos com consultas, exames laboratoriais, procedimentos, internações, farmacêutico em seis meses e um ano. Foram realizadas análises de custo-efetividade, custo-minimização e custo-benefício, e análise estatística dos resultados. Foram incluídos 40 pacientes no grupo intervenção e 40 no controle. Foram realizadas 151 intervenções farmacêuticas, sendo a maioria do tipo farmacêutico-paciente, e preventiva de erros de cumprimento da terapia. Observou-se uma diminuição significativa dos PFTs totais, PFTs de segurança e necessidade. No período de seis meses, o grupo intervenção apresentou maior porcentagem de ausência de coinfecções e CD4+ > 500 células/ mm3 que o grupo controle. No período de um ano, não houve diferença entre os grupos na porcentagem de pacientes com CD4+ > 200 células/ mm3, mas em todos os outros desfechos, o grupo intervenção apresentou melhores resultados. O grupo intervenção gerou menores gastos com consultas, exames laboratoriais, e internações, mas, maiores gastos com procedimentos e custo total que o grupo controle. Seria necessário um investimento adicional por ano de R$4004,05 em procedimentos ou R$3299,60 em custos totais para que se obter 5 desfechos adicionais de carga viral <50 cópias/ mL; 2 desfechos adicionais de ausência de coinfecção; 1 desfecho adicional de CD4+>350 células/ mm3, 3 desfechos adicionais de CD4+>500 células/ mm3, e 3 desfechos adicionais de resposta imune ideal (carga viral <50 cópias/ mL, ausência de coinfecção e CD4+>500 células/mm3). Segundo a análise de custo-benefício, em termos financeiros, não foi benéfico o acompanhamento farmacoterapêutico. Portanto, este trabalho demonstra que o acompanhamento farmacoterapêutico pode trazer benefícios econômicos, entretanto a condução de mais estudos é necessária. (AU)

Processo FAPESP: 11/04426-7 - Intervenção farmacêutica na farmacoterapia de pacientes HIV positivos: resultado desta nos procedimentos e economia
Beneficiário:Renata Cavalcanti Carnevale
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado