Busca avançada
Ano de início
Entree


O mal estar pode ser educado? : um percurso entre o bem e o sublime

Autor(es):
Gabriela Gomes Costardi
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Faculdade de Educação
Data de defesa:
Membros da banca:
Márcio Aparecido Mariguela; Nina Virginia de Araujo Leite; Guilherme do Val Toledo Prado; Ângela Fátima Soligo
Orientador: Ana Archangelo
Resumo

Este trabalho se propõe a discutir a relação entre a ação educativa e a entrada do sujeito na cultura. Trabalhamos com as orientações freudianas relativas à educação, observando a aproximação destas com suas concepções sobre a civilização. Observamos que essas proposições estabelecem um paradoxo e para abordá-lo percorremos a tensão entre os conceitos de recalcamento e sublimação nos dois tempos do pensamento freudiano, localizando como ponto de virada de sua obra a postulação da pulsão de morte, quando o "mal radical" passa a ser constituinte do ser humano. Destacamos que a perspectiva moral se propõe a recalcar o mal em nome do bem coletivo, mas ergue uma barreira ao sujeito do desejo. Já pela via da sublimação temos a possibilidade de criar algo que diga do sujeito do desejo, a partir dessa destrutividade fundamental, e adentramos ao terreno da ética. Como o projeto civilizatório é sustentado pela dimensão do bem e da moralidade, a entrada do sujeito na cultura gera para ele um mal-estar irredutível, e nesse âmbito se estabelece a ação educativa, o que nos permitirá questionar a concepção pastoral da educação. Por fim, analisaremos algumas intervenções de uma analista dentro da escola, delimitando como centro de sua operação a sustentação de um lugar esvaziado de saber, posição que remete a ação educativa à sua dimensão problemática e não pacificadora. (AU)

Processo FAPESP: 08/51989-4 - O mal estar pode ser educado? Um percurso entre o bem e o sublime
Beneficiário:Gabriela Gomes Costardi
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado