Busca avançada
Ano de início
Entree


Análise de fatores relacionados à resistência ao tratamento com drogas anti-epilepticas em epilepsia de lobo temporal mesial

Autor(es):
Elizabeth Bilevicius
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Faculdade de Ciências Médicas
Data de defesa:
Membros da banca:
Luiz Eduardo Gomes Garcia Betting; Marilisa Mantovani Guerreiro; Américo Ceiki Sakamoto; Veriano Alexandre Júnio
Orientador: Fernando Cendes
Resumo

O objetivo foi realizar uma análise multifatorial dos aspectos clínicos e de ressonância magnética (quantitativos e qualitativos) relacionados à resistência ao tratamento com drogas anti-epilépticas (DAES) em pacientes com epilepsia de lobo temporal mesial e melhor caracterizar o grupo de resposta intermediário a DAES, aqui denominado remitente-recorrente. Foram incluídos 165 pacientes e divididos em 3 grupos de acordo com a resposta medicamentosa: 50 respondedores (31 mulheres) , 87 não respondedores ao uso de DAES (53 mulheres) e 28 remitentes-recorrentes (17 mulheres) . Estes foram avaliados quanto à idade, freqüência de crises e idade no início destas, presença de crises febris, presença e lateralidade da atrofia hipocampal à análise visual, fatores precipitantes e DAES utilizadas. A quantificação dos volumes hipocampais foi realizada através de volumetria manual pelo software DISPLAY e as comparações dos volumes médios de ambos os hipocampos foi realizada entre os 3 grupos e 30 controles sadios por ANOVA. As imagens de ressonância magnética também foram avaliadas através da técnica de Morfometria Baseada em Voxel (VBM) com o software SPM 5 (Statistical Parametric Mapping)/MATLAB 7.7.0, comparando os três grupos com 75 indivíduos normais e entre si através de Teste -T. Observamos que idade de início das crises foi menor (p=0,005) e a freqüência das crises ao início foi maior (p=0,018) em farmacorresistentes quando comparado aos outros 2 grupos. As DAES mais utilizadas foram a carbamazepina e o clobazam (em associação) em todos os grupos. As doses de carbamazepina utilizadas foram maiores em farmacorresistentes (p<0,001) e remitentes-recorrentes (p=0,02) em comparação aos responsivos. Em relação ao clobazam, observamos dose significativamente maior somente nos farmacorresistentes em comparação aos outros dois grupos (p=0,017). A comparação da média dos volumes hipocampais entre os 3 grupos e controle evidenciou diferenças somente entre farmacorresistentes e controles bilateralmente (esquerda ,p = 0,004; direita, p=0,02). A análise por VBM evidenciou atrofia de substância cinzenta em todos os grupos. No grupo farmacorresponsivo tal atrofia foi mais restrita a áreas ipsilaterais ao foco epileptigênico, ao passo que nos grupos farmacorresistente e remitente-recorrente esta atrofia apresentou-se mais difusa. A comparação entre os grupos evidenciou as seguintes áreas com maior redução de substância cinzenta nos grupos farmacorresistente e remitenterecorrente quando comparados aos farmacorresponsivos: frontal periorbital bilateral (p<0,01), cíngulo (p<0,05) e temporal contralateral ao foco epileptogênico (p<0,05). Desta forma, observamos que embora as características clínicas demonstrassem mais similaridades entre os grupos respondedor e remitente-recorrente, a análise de VBM mostrou redução de substância cinzenta mais difusa em farmacorresistentes e remitentesrecorrentes. Assim pudemos observar que as variáveis clínicas relacionadas ao pior prognóstico foram idade e freqüência de início de crises. Em relação às variáveis estruturais, embora a atrofia de substância cinzenta (SC) se apresentasse mais difusamente em pacientes de pior resposta medicamentosa, também ocorre em áreas extra-hipocampais e mesmo extratemporais em pacientes considerados farmacorresponsivos mesmo que ipsilateralmente ao foco epileptogênico. Por último, conseguimos caracterizar clínica e estruturalmente o grupo remitente-recorrente, observado na prática clínica, porém até então muito pouco reconhecido na literatura (AU)

Processo FAPESP: 06/50626-0 - Análise de fatores relacionados a resistência ao tratamento com drogas anti-epiléticas em epilepsias parciais
Beneficiário:Elizabeth Bilevicius
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado Direto