Busca avançada
Ano de início
Entree


Perfume de mulher : riso feminino e poesia em Casina

Autor(es):
Carol Martins da Rocha
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Estudos da Linguagem
Data de defesa:
Membros da banca:
João Angelo Oliva Neto; Jose Eduardo dos Santos Lohner
Orientador: Isabella Tardin Cardoso
Resumo

A peça Cásina (Casina), provável produção do fim da carreira do poeta romano Tito Mácio Plauto (III-II a.C.), carece de observação mais atenta no cenário mais recente dos estudos sobre o autor. É notável que essa comédia, ao que saibamos, não tenha recebido anteriormente tradução em nosso país, sobretudo porque um passar de olhos pelas intrigas e confusões da peça, já nos revela uma infinidade de aspectos da poesia plautina. Em muitos casos se trata de características sutis, muitas das quais têm passado despercebidas para a maioria dos críticos, que notaram sobretudo brincadeiras mais explícitas ali presentes, envolvendo inclusive travestimento e referências a partes pudicas. Como pretendemos ressaltar, outros recursos humorísticos e poéticos abundam em Cásina: desde o próprio nome dos personagens até passagens em que podemos notar teatro dentro do teatro (fenômeno tratado mais recentemente como ?metateatralidade?). A trama, mesmo que típica do drama plautino, constrói-se de tal maneira a destacar de modo especial personagens que em outras peças não recebem tanto realce: as mulheres. Seja no papel da típica matrona plautina (esposa ciumenta), seja num papel contrário (a esposa submissa), seja ainda, na inventividade da escrava, ou até mesmo, na figura de uma falsa mulher, os personagens femininos de Cásina chamam a atenção dos leitores modernos, e, provavelmente, também cativariam o público da época. Nossa tradução e análise da peça buscam, entre outros resultados, proporcionar a percepção de tais efeitos humorísticos e póeticos. Para tanto será necessário observar fatores distintos: possíveis interferências pós-plautinas (pressupostas a partir do prólogo); aspectos de teatro dentro do teatro presentes no texto; o tratamento cauteloso da linguagem plautina (AU)

Processo FAPESP: 07/57173-3 - "perfume de mulher": riso feminino e poesia em casina
Beneficiário:Carol Martins da Rocha
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado