Busca avançada
Ano de início
Entree


Espécies sentinelas para a Mata Atlântica: as conseqüências epidemiológicas da fragmentação florestal no Pontal do Paranapanema, São Paulo

Texto completo
Autor(es):
Alessandra Ferreira Dales Nava
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Data de defesa:
Membros da banca:
Fernando Ferreira; Adriana Cortez; José Soares Ferreira Neto; Cláudia Filoni; Ronaldo Gonçalves Morato
Orientador: Fernando Ferreira
Resumo

A conservação da biodiversidade e de ecossistemas saudáveis é extremamente necessária para a saúde dos indivíduos, das populações humanas e das demais espécies encontradas na natureza. Como conseqüência desses múltiplos estresses ambientais estão certas doenças emergentes, a desestabilização de cadeias tróficas e os efeitos deletérios na saúde de populações silvestres e na ecologia dos habitats fragmentados. O objetivo principal deste estudo foi estudar as conseqüências epidemiológicas da fragmentação florestal nas populações de animais domésticos, felinos silvestres e taiassuídeos presentes no Parque Estadual Morro do Diabo e fragmentos florestais próximos, intencionando determinar o padrão de ocorrência de doenças na população silvestre. Para isso foram capturados e tiveram amostras coletadas: 39 catetos (Tayassu tajacu), 61 queixadas (Tayassu peccari), 2 jaguatiricas (Leopardus pardalis), 2 onças pardas (Puma concolor), 8 onças pintadas (Panthera onca), e 100 Rattus rattus bem como os seguintes animais domésticos: 782 bovinos, 214 caninos, 193 eqüinos, 108 ovinos, 97 suínos e 17 gatos domésticos do entorno do PEMD e fragmentos florestais. Para os animais silvestres e domésticos amostrados, com exceção dos gatos domésticos foi realizado sorodiagnóstico para Leptospira spp (MAT) e Brucella spp. (rosa bengala e fixação de complemento) e tentativas de isolamento para Leptospira spp e Brucella spp. ; para os caninos domésticos, felídeos silvestres e taiassuídeos foi realizado sorodiagnóstico para cinomose (soroneutralização); para felídeos silvestres e felinos domésticos foi realizado sorodiagnóstico para imunodeficiência felina e leucemia felina (ELISA indireto). Dentre os felídeos selvagens e domésticos, nenhum animal foi reagente para imunodeficiência felina e leucemia felina; também não foi identificado animal reagente para cinomose entre os felídeos silvestres e taiassuídeos, porém os caninos domésticos 12 de 200 animais foram reagentes; para brucelose 7 queixadas, 1 cateto, 13 bovinos, 3 cães e 1 onça pintada foram reagentes, as outras espécies como ovinos, suínos e equinos não foram reagentes; para leptospirose 18 queixadas, 4 catetos, 1 onça pintada, 322 bovinos, 12 ovinos, 15 suínos e 64 equinos. As tentativas de isolamento para leptospirose e brucelose foram inconclusivas. Os resultados indicam que os animais silvestres e os animais domésticos do entorno das florestas foram expostos a alguns agentes pesquisados. É urgente um programa de extensionismo rural visando o incremento da saúde animal doméstica que vive no entorno do PEMD e fragmentos florestais. As altas prevalências de leptospirose em animais domésticos e silvestres, e outras doenças infecto contagiosas que possam estar presentes no estoque animal doméstico da região devem ser minimizadas com um trabalho de medicina preventiva nesta população. A presença de zoonoses como a leptospirose e brucelose nos animais domésticos são um risco de saúde pública para os proprietários rurais. Um programa de conscientização deve ser realizado na região perante os resultados desse estudo, envolvendo saúde pública, controle populacional de cães e gatos, e vacinação dos animais domésticos. Na elaboração dos planos de manejo das UCs deve ser incluído diagnóstico da fauna selvagem a patógenos, e conhecer o risco existente de doenças infectocontagiosas nos animais domésticos que vivem no entorno das UCs. (AU)

Processo FAPESP: 04/07921-5 - Espécies sentinelas: consequências epidemiológicas da fragmentação florestal em populações de animais domésticos e silvestres na Mata Atlântica do Pontal do Paranapanema, São Paulo
Beneficiário:Alessandra Ferreira Dales Nava
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado Direto