Busca avançada
Ano de início
Entree


Análise histopatológica e perfil protéico de lesões causadas pelo Citrus leprosis virus tipo nuclear e citoplasmático em Citrus sinensis (l.) Osbeck

Texto completo
Autor(es):
João Paulo Rodrigues Marques
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Piracicaba.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Data de defesa:
Membros da banca:
Beatriz Appezzato da Gloria; Juliana Aparecida Fernando; Francisco Andre Ossamu Tanaka
Orientador: Beatriz Appezzato da Gloria
Resumo

A leprose dos citros é uma doença de grande importância econômica aos citricultores, devido aos prejuízos por ela causados. A doença provoca lesões localizadas nos ramos, frutos e folhas e pode causar grandes perdas aos pomares não tratados. A leprose dos citros possui etiologia viral sendo o vírus denominado Citrus leprosis virus (CiLV). Atualmente, atribuí-se a leprose dois tipos de vírus que causam sintomas morfológicos e citopatológicos distintos: o tipo nuclear (CiLV-N) e o tipo citoplasmático (CiLV-C). O presente trabalho teve como objetivo investigar as alterações anatômicas e comparar o perfil protéico entre as lesões causadas pelos dois tipos de vírus em laranjeira-doce [Citrus sinensis (L.) Osbeck]. Para as análises anatômicas foram coletadas amostras de tecidos sadios e de tecidos lesionados. As amostras foram fotografadas e em seguida fixadas em solução de Karnovsky, desidratadas em série etílica, infiltradas em resina hidroxi-etil-metacrilato (Leica Historesin), seccionadas em micrótomo rotativo a 5-7 µm de espessura, coradas com azul de Toluidina para as análises histológicas usuais. Também foram realizados testes histoquímicos para fenóis, compostos pécticos, proteína e lipídios. A captura de imagens digitais dos materiais preparados em lâminas foi realizada em microscópio equipado com câmera de vídeo. Para a análise do perfil protéico as amostras coletadas foram imediatamente criofixadas em nitrogênio líquido e armazenadas em refrigerador a - 80ºC para posterior extração protéica. As proteínas extraídas foram quantificadas e depois separadas por eletroforese em gel de policrilamida. As lesões foliares se iniciaram como pontuações necróticas, envolvidas por halos cloróticos que limitam o crescimento da lesão. Nos ramos, ocorreram dois tipos de lesões com fendas. As lesões de ramos e de folhas provenientes do campo com sintomas de CiLV-C apresentaram similaridades com as amostras inoculadas. No caso das lesões foliares causadas pelo CiLV-N observa-se a presença de três regiões distintas: o centro necrótico, o halo intermediário e o halo clorótico. As lesões nos frutos de ambos os tipos de leprose eram distintas. Ductos traumáticos gomosos foram observados nos ramos infectados pelo CiLV-C e nos feixes vasculares de folhas e frutos infectados pelo CiLV-N. Quanto ao perfil protéico, verificou-se um aumento na concentração protéica nos tecidos infectados, em especial, nas lesões causadas pelo CiLV-N. Foi possível observar que havia um padrão anatômico e histoquímico nas lesões causadas pela leprose em laranjeira doce independente do tipo de vírus, pois em todas as lesões foi verificada hipertrofia e hiperplasia celular, plasmólise, a redução de grãos de amido, o acúmulo de compostos lipídicos nas células da área necrosada e a presença de um halo, ao redor dessa área, constituído de células que acumulam proteínas. (AU)

Processo FAPESP: 06/54926-8 - Comparação histopatológica e do perfil proteico das lesões causadas pelo Citrus leprosis vírus do tipo citoplasmático e nuclear em Citrus SP
Beneficiário:João Paulo Rodrigues Marques
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado