Busca avançada
Ano de início
Entree


Afinidades morfológicas intra e extra-continentais dos paleoíndios de Lagoa Santa: uma nova abordagem

Texto completo
Autor(es):
Danilo Vicensotto Bernardo
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Biociências
Data de defesa:
Membros da banca:
Walter Alves Neves; Astolfo Gomes de Mello Araujo; Sabine Eggers
Orientador: Walter Alves Neves
Resumo

O presente trabalho propõe-se a analisar as afinidades biológicas através da comparação estatística multivariada dos dados craniométricos dos Paleoíndios de Lagoa Santa com outras séries esqueletais representativas de diversas regiões do mundo, testando, de forma complementar, as relações biológicas primeiramente observadas por Neves & Pucciarelli (1989). De acordo com a proposta inicial de Neves e Pucciarelli (1989), que sugere que a ocupação do Novo Mundo se deu a partir da chegada de dois componentes biológicos à América, os Paleoíndios, representantes da primeira leva de colonizadores, apresentam morfologia craniana generalizada, semelhante à observada entre as populações australo-melanésicas e africanas atuais e diametralmente oposta à morfologia especializada, característica dos nativos americanos recentes, todos descendentes da segunda leva de colonizadores. Para a execução do trabalho proposto foi utilizado, como base de dados comparativa à série Paleoíndia de Lagoa Santa, uma base de dados alternativa ao banco Howells, classicamente utilizado nas investigações bioantropologicas. A base de dados alternativa, numericamente expressiva e contando com populações originárias de 19 grandes regiões geográficas, foi organizada pelo Prof. Tsunehiko Hanihara, do Departamento de Anatomia da Saga Medical School (Saga, Japão), e cedida ao Laboratório de Estudos Evolutivos Humanos para a execução deste trabalho. Os resultados gerados através das técnicas estatísticas multivariadas empregadas indicaram que a população Paleoíndia de Lagoa Santa, em escala intracontinental, não se associa com as populações indígenas nativas americanas tardias e atuais e, em escala extra-continental, apresentam, de maneira geral, uma morfologia craniana mais semelhante à apresentada por populações de morfologia craniana generalizada (AU)

Processo FAPESP: 05/52273-4 - Afinidades morfológicas intra extracontinentais dos paleoíndios de Lagoa Santa: uma nova abordagem
Beneficiário:Danilo Vicensotto Bernardo
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado