Busca avançada
Ano de início
Entree


Consumo alimentar doméstico em populações caboclas assentadas em três diferentes ambientes amazônicos: uma análise comparativa

Texto completo
Autor(es):
Maissa Salah Bakri
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Biociências
Data de defesa:
Membros da banca:
Rui Sergio Sereni Murrieta; Cristina Adams; Walter Alves Neves
Orientador: Rui Sergio Sereni Murrieta
Resumo

A Amazônia tem sido palco de inúmeras discussões acerca do papel que o meio ambiente desempenha na estruturação das sociedades humanas. Até recentemente, na maior parte das discussões sobre a natureza das limitações ambientais na Amazônia, tem sido comum a escolha de fatores limitantes únicos. Nesses debates as populações Caboclas são de extrema relevância, uma vez que constituem o segmento populacional mais numeroso na Amazônia. Frente a um cenário mundial de crescentes mudanças nos padrões nutricionais, o conhecimento mais aprofundado sobre o consumo alimentar dessas populações, ainda incipiente, é de natural relevância. Assim, este estudo apresenta a comparação dos padrões de consumo alimentar de unidades domésticas assentadas em diferentes ambientes da Amazônia: a Várzea Estuarina (Ilha de Marajó, município de Ponta de Pedras-PA), a Várzea Estacional (Ilha de Ituqui, município de Santarém-PA), e a Floresta de Terra Firme (Floresta Nacional de Caxiuanã, municípios de Melgaço e Portel-PA). O objetivo principal foi determinar e comparar os padrões de consumo alimentar das unidades domésticas, principalmente no que diz respeito às calorias e proteínas, e entender como as unidades domésticas se articulam e se distribuem em relação ao ambiente em que vivem. O método utilizado para coleta de dados foi o recordatório de 24 horas. Concluiu-se, neste trabalho que: (1) existem diferenças significativas no padrão de consumo entre os diferentes ambientes estudados; (2) os padrões encontrados para os ambientes de Várzea não são mais semelhantes entre si do que em relação à Terra Firme; (3) as unidades domésticas das comunidades da Floresta de Terra Firme não parecem apresentar menor consumo de alimentos, calorias, ou proteínas do que os demais ambientes; (4) parece haver a formação de um grande grupo composto por unidades domésticas da Várzea Estuarina e da Terra Firme, ambientes de maior diversidade de alimentos, e outro grupo constituído pelas unidades domésticas da Várzea Estacional; (5) as unidades domésticas não se distribuem conforme as bacias nas quais estão assentadas. Assim, o poder explicativo do modelo de tipologia de bacias se vê comprometido, pelo menos em se tratando de ambientes, como a grande parte dos encontrados na região Amazônica, que se encontram em posições intermediárias no gradiente ambiental, não coincidindo com os protótipos de Várzea ou Terra Firme normalmente retratados na literatura. (AU)

Processo FAPESP: 06/58625-2 - Consumo calorico-proteico domestico em populacoes caboclas amazonicas assentadas em tres diferentes ecossistemas - uma nalise comparativa.
Beneficiário:Maissa Salah Bakri
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado