Busca avançada
Ano de início
Entree


"Estratégias adaptativas de duas populações caboclas (Pará) aos ecossistemas de várzea estuarina e estacional: uma análise comparativa".

Texto completo
Autor(es):
Cristina Adams
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Biociências
Data de defesa:
Membros da banca:
Walter Alves Neves; Célia Regina Tomiko Futemma; Jean Paul Walter Metzger; Rui Sergio Sereni Murrieta; Renate Brigitte Viertler
Orientador: Walter Alves Neves
Resumo

Esta tese apresenta um estudo comparativo da qualidade de vida biológica de duas populações caboclas amazônicas situadas na bacia do rio Amazonas, em dois tipos diferentes de várzeas: estacional (Ilha de Ituquí, município de Santarém-PA) e estuarina (município de Ponta de Pedras, Ilha de Marajó, PA), com o objetivo de investigar a influência da diversidade ambiental regional sobre os sistemas sociais. Como parâmetro para a avaliação da qualidade de vida biológica das populações utilizou-se o status nutricional, obtido através de estudos antropométricos e de consumo alimentar. Foram realizados dois tipos de comparações: inter e intraecossistemas. O objetivo principal da tese foi avaliar se a tipologia de bacias proposta para a Amazônia, com base na produtividade das águas, é suficiente para explicar a variabilidade encontrada na qualidade de vida biológica das populações caboclas da Amazônia. Foram testadas duas hipóteses: (1) populações caboclas amazônicas localizadas num mesmo tipo de bacia não apresentam diferenças significativas nos parâmetros de avaliação de sua qualidade de vida biológica; (2) diferenças microecológicas locais resultam em diferenças significativas nos parâmetros de avaliação da qualidade de vida biológica das populações caboclas. As conclusões foram: (1) que existe um quadro de desnutrição crônica na região amazônica que, todavia, não pode ser explicado primordialmente por uma escassez alimentar; (2) não existe um problema de desnutrição aguda; (3) populações caboclas assentadas em diferentes regiões ao longo do rio Amazonas apresentam diferenças significativas no status nutricional; (4) populações caboclas assentadas num mesmo ecossistema – várzea estacional ou estuarina – apresentaram algumas diferenças significativas em termos de status nutricional; (5) a dieta básica das sociedades caboclas, composta por peixe e derivados de mandioca, complementados por outros itens, é adequada em termos protéicos, mas ligeiramente insuficiente em termos energéticos; (6) as mulheres parecem ter um mecanismo de resiliência fisiológica contra variações ambientais, que mantém os estoques de gordura corpórea em níveis mais satisfatórios que os homens; (7) o ambiente como explicação causal para as diferenças de qualidade de vida biológica observadas nas populações, é insuficiente, e outras variáveis devem ser levadas em consideração (fatores históricos, sócio-culturais, políticos, econômicos). (AU)

Processo FAPESP: 97/03757-0 - Estratégias adaptativas de duas populações caboclas (Pará) aos ecossistemas de várzea estuarina e estacional: uma análise comparativa
Beneficiário:Cristina Adams
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado