Busca avançada
Ano de início
Entree


Ação de micro e nanopartículas de dióxido de titânio sobre a resposta inflamatória no intestino delgado de camundongos

Texto completo
Autor(es):
Carolina Maciel Nogueira
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina
Data de defesa:
Membros da banca:
Aytan Miranda Sipahi; Dulce Reis Guarita; Wellington Monteiro Machado
Orientador: Aytan Miranda Sipahi
Resumo

Introdução: O dióxido de titânio (TiO2) é um corante encontrado na forma de partículas em diversos produtos industrializados. Muitos estudos, a maioria envolvendo o trato respiratório, alertam sobre os efeitos prejudiciais advindos da exposição ao TiO2. Embora partículas da dieta, tais como o TiO2, sejam ingeridas diariamente, ainda existem poucos estudos investigando seus efeitos sobre o trato gastrointestinal. Objetivos: O objetivo principal desse trabalho é investigar a ação de nano (NP) e micropartículas (MP) de TiO2 sobre a resposta inflamatória no intestino delgado de camundongos. Material e Métodos: Camundongos Bl 57/6 foram divididos em 2 grupos experimentais, os quais receberam NP TiO2 (66 nm) ou MP TiO2 (260 nm) a uma dose de 100 mg/Kg/dia, e um grupo controle, o qual recebeu água destilada. O tratamento foi administrado por gavagem, durante 10 dias, uma vez ao dia. Ao final, o intestino delgado foi coletado para a análise de citocinas (IL-1b, IL-4, IL-6, IL-8, IL-10, IL-12, IL-13, IL-17, IL-23, TNFa, IFNg e TGFb) por ELISA e quantificação de células T CD4+, T CD8+, células dendríticas e natural killers por imunohistoquímica. Resultados: Os resultados demonstram maior concentração de citocinas IL-12, TNFa, IFNg, IL-4, IL-23 e TGFb, e células T CD4+ nos grupos que receberam TiO2. O aumento de citocinas foi mais importante no íleo, onde há maior concentração de células M, as quais representam a principal via de captação de partículas no intestino. Conclusão: As partículas de TiO2 provocaram uma resposta pró-inflamatória, predominantemente do tipo Th1, no intestino delgado dos camundongos, especialmente no íleo. Esses dados representam uma evidência in vivo do potencial inflamatório de partículas de TiO2 sobre o trato gastrointestinal (AU)

Processo FAPESP: 07/02101-8 - Acao de micro e nanoparticulas de dioxido de titanio sobre a resposta inflamatoria no intestino de camundongos.
Beneficiário:Carolina Maciel Nogueira
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado